Centenas de crianças pegam trem ou navio para ver o Papa Francisco no Vaticano

Este já é o sétimo ano em que a plataforma de destino do trem das crianças fica dentro do próprio Vaticano. Desta vez, porém, a iniciativa promovida pelo Pontifício Conselho da Cultura vai chegar pela ferrovia e também pelos mares: neste sábado (8), “Uma ponte de ouro em um mar de luz” vai levar 400 crianças para ver o Papa Francisco, parte delas que pega o trem, em Gênova, e a outra o navio, na Sardenha.

O Papa ao escutar as crianças em 2015

A oportunidade é aberta a crianças de toda a Itália que enfrentaram situações de dificuldade e fragilidade social. Neste ano, aquelas que foram atingidas com a queda da Ponte Morandi, em 2018, em Gênova, e que sofreram com as inundações na ilha da Sardenha, em 2013. O grande grupo irá encontrar o Papa Francisco dentro da Cidade do Vaticano, depois daquela que é considerada uma viagem de esperança promovida pela estrutura “Cortile dei Gentili” do próprio Pontifício.

O afeto das crianças ao abraçar o Papa em 2018

As crianças irão contar ao Pontífice sobre o impacto e as consequências vividas com as diferentes tragédias, mas sobretudo irão lançar uma mensagem de solidariedade. O tema da iniciativa, “construir pontes para superar todo tipo de isolamento”, representa a necessidade de derrubar muros para construir passarelas de amor, pontes resistentes a todas inundações e às quedas que ferem a infância no seu dia a dia.

Quem participa da viagem da esperança

O encontro de 2017, sempre cheio de significado

Cerca de 150 estudantes de três escolas de Gênova, que sofreram consequências com a queda da Ponte Morandi, em 14 de agosto de 2018, pegarão o trem no sábado, que fará uma primeira parada em Civitavecchia para receber mais crianças. O novo grupo vai chegar de navio, da Sardenha, com crianças de cidades atingidas pelas inundações de 2013. Na outra parada, na Estação Termini, em Roma, o trem vai acolher um grupo de estudantes de Nápoles, para oferecer uma ajuda concreta às crianças dos bairros mais pobres e complexos da cidade, até chegar ao destino final, no Vaticano.

A iniciativa não é só um evento, mas um percurso pedagógico e educativo que continua durante todo o ano escolar dentro das escolas, através de atividades preparatórias e momentos de encontro e formação.

(Texto: Andressa Collet/fotos: Vatican News)
Share This