A pesca ilegal e predatória continua em terra indígena no rio Purus

As comunidades indígenas Terra Nova, Vila Nova, Santa Rita, Bacuri e São Francisco, localizadas na terra indígena Itixi Mitari, na margem esquerda do rio Purus, na região dos municípios de Tapauá, Beruri e Anori, protocolaram hoje dia 23 de novembro 2004 um documento na Administração Regional da Funai, no Ibama e no Ministério Público, denunciando a pesca ilegal e predatória nos rios que cortam suas terras. O documento foi elaborado por ocasião de um encontro das comunidades para discutir a demarcação e fiscalização da referida terra indígena, ocorrido no dia 20/11/04.

Segundo a denúncia das comunidades indígenas “dois barcos estão pescando jaraqui ovado com arrastão na boca e no interior do lago do Itaboca” e que “esse tipo de pesca também acontece na boca e dentro do lago do Joari normalmente no mês de janeiro (de cada ano) quando o jaraqui da escama grossa desce para desovar no rio Purus”. Informam igualmente que a “pesca de caixinha” é feita por invasores durante o ano inteiro no interior da terra indígena.

O integrante da coordenação do Cimi Norte I Francisco Loebens, convidado pelos índios para participar do encontro, na viagem de volta da área indígena, constatou no lago do Itaboca a presença dos barcos de pesca Araçanga I, Figueira I e Gilmara Vallente e foi informado pelos ribeirinhos que o barco Meu Reis, havia deixado a terra indígena recentemente carregado de jaraqui ovado.

Esta não é a primeira vez que as comunidades indígenas denunciam ás autoridades a pesca ilegal e predatória no interior da terra Itixi Mitari. No primeiro semestre Ibama e Funai, depois de terem sido informados pelos índios e pela equipe local do Cimi da presença de peixeiros na terra indígena, se deslocaram até a região, mas não resolveram o problema.

A reivindicação indígena é que desta vez, após a terra Itixi Mitari ter seus limites declarados pela portaria 2578 de 21 de setembro/04 do Ministro da Justiça, os órgãos competentes ajam de forma imediata e com rigor para proibir a pesca no interior da terra indígena e a pesca predatória em toda região que prejudica todas as populações locais.

 

Manaus, 23 de setembro de 2004.

Conselho Indigenista Missionário

Escreva um Comentário

Ver todos os Comentários

Seu endereço de email não será publicado. Também outros dados não serão compartilhados com a terceira pessoa. Campos obrigatórios marcados como * *

Share This