Advento: tempo especial de abrir o coração das crianças ao nascimento de Jesus Cristo

As histórias desta época do ano exercem um fascínio especial sobre as crianças. Trata-se, portanto, de um período fértil que a Igreja pode aproveitar para a iniciação das crianças à vida cristã. O arcebispo de Maringá (PR) e presidente do Conselho Diretor da Pastoral da Criança, dom Anuar Battisti, reforça que as crianças devem ser envolvidas nas atividades da Igreja desde pequenas, durante todo o ano e especialmente neste período.

Na catequese, por exemplo, segundo o padre Antônio Marcos Depizzoli, assessor da Comissão Episcopal Pastoral para a Animação Bíblico-Catequética da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), todos, em particular as crianças, têm o direito de fazer experiência da singeleza, da humildade, da fraternidade, da generosidade a que o tempo do Advento convida.

“Com iniciativas simples, família, catequese e comunidade podem comunicar o verdadeiro sentido do Advento. Participação na Santa Missa, oração e momentos catequéticos em família, novenas em pequenos grupos permitem alargar nossa compreensão de que na gruta de Belém nasceu Jesus, em quem somos todos irmãos”, sugere.

O padre reforça que o Diretório Nacional de Catequese, números 120 e 121, ensina que a catequese como educação da fé e a liturgia como celebração da fé são duas funções da única missão evangelizadora e pastoral da Igreja. “A catequese litúrgica explica o conteúdo das orações, o sentido dos gestos e dos sinais, educa à participação ativa, à contemplação e ao silêncio”, reforça.

Pequenos Reis Magos – A Pastoral da Criança promove, durante o Advento, em parceria com a Catequese, a Campanha dos Pequenos Reis Magos. Trata-se de uma ação realizada por crianças e adolescentes que, levando à frente a estrela de Belém, marcam as casas por onde passam com a sigla “C+M+B” (em latim: Christus Mansionem Benedicat, que em português significa: “Cristo abençoe este lar”).

A campanha tem como objetivo levar a mensagem de paz do Evangelho e angariar recursos para salvar vidas através de ações da Pastoral da Criança em alguns dos países mais pobres do mundo, bem como despertar a solidariedade e o espírito missionário dos brasileiros.

“Mais que o resultado financeiro, podemos ver o envolvimento das paróquias, das comunidades e a alegria das crianças em poder estar ajudando crianças de outros países, que elas não conhecem. Vemos isso pelo depoimento delas. Crianças ajudando crianças é a maior alegria e satisfação de uma campanha dessas”, disse dom Anuar.

Segundo o assessor da Comissão para a Animação Bíblico-Catequética, o tempo litúrgico do Advento é oportunidade para o exercício da espera vigilante do Senhor que vem. “É tempo de abrir o coração para a beleza do Mistério da Encarnação. Muitos dos sinais desse tempo, a Coroa do Advento, a cor litúrgica, as personagens bíblicas… colaboram para nos ajudar a entender que o sentido maior do Advento está em preparar-se para celebrar o nascimento de Jesus”, reforça.

Share This