Arquidiocese de Manaus destaca realidade da migração na revista do mês de junho

A arquidiocese de Manaus (AM) destacou, na última edição da revista Arquidiocese em Notícias, a realidade da migração dentro de seu território. Vários artigos situaram desde a situação atual da capital amazonense na acolhida dos migrantes, desde a abordagem da temática pelo Sínodo Especial para a Amazônia.

Em artigo, a coordenadora arquidiocesana da Pastoral do Migrante, Rosana Nascimento, conta a trajetória da pastoral, iniciada há 27 anos pelas Irmãs Missionárias de São Carlos Borromeo Scalabrinianas. “Àquela época, o trabalho iniciou na periferia da cidade, acompanhando a população que vinha do interior do estado para a capital, o que nós chamamos de migração interna”, contou Rosana. Também são lembradas as ações nos fluxos migratórios dos últimos anos.

Em outro artigo, a irmã Cidinha Batista, discípula do Divino Mestre, fala da Acolhida do Migrante na Liturgia: “Com boas práticas de integração iremos construindo um mundo mais fraterno e solidário, uma cidadania universal que, respeitando as identidades culturais e nacionais, forjará uma família humana mais unida, pacífica e acolhedora”.

A situação das famílias também é lembrada. Um dos artigos convida à reflexão sobre a imigração de famílias em Manaus. Uma reportagem conta a história de mãe e filha que fugiram da crise na Venezuela.

“Há 1 ano e 3 meses no Brasil, Fiorella Castro Monnin e sua mãe Rita Castro Monnin, são migrantes que saíram da Venezuela, em virtude da crise instalada em seu país. Chegaram através de uma carona e sem pertence algum, com fé e perseverança, juntas buscaram o Brasil para trabalhar e cuidar da saúde, progredindo aos poucos, contado sempre com a providência divina que abriu caminhos e oportunidades de trabalho para se manterem e ainda enviar recursos financeiros para o restante da família que permanece na Venezuela”.

 

Sínodo
O padre Luís Miguel Modino, na série de artigos sobre o Sínodo para a Amazônia, também apresentou uma reflexão a respeito da temática no processo sinodal: “O Documento Preparatório, que tem servido como base no trabalho de escuta sinodal, fazendo uma leitura da realidade desde o ponto de vista histórico, nos diz que ‘as cidades da Amazônia cresceram muito rapidamente, e integraram muitos migrantes, forçosamente deslocados de suas terras, empurrados até as periferias dos grandes centros urbanos que avançam selva adentro’”.

Confira a revista na íntegra.

Share This