CNBB

Domingo, Nov 23rd

Last updateSex, 21 Nov 2014 6pm

Você está aqui: Home Articulistas Dom Canísio Klaus Corpo e Sangue de Cristo

Dom Canísio Klaus

Corpo e Sangue de Cristo

Dom Canísio Klaus
Bispo de Santa Cruz do Sul (RS)

Na próxima quinta-feira, dia 30 de maio, celebramos a festa do Corpo e Sangue de Cristo, também conhecida como festa de Corpus Christi. É uma festa típica da Igreja Católica e tem por motivação promover a fé na presença do Cristo Ressuscitado nas espécies do pão e do vinho consagrados.

Em cada missa, quando o padre toma o pão nas mãos e pronuncia as palavras: “Tomai todos e comei: isto é o meu corpo que será entregue por vós”, e, depois disso, ao tomar o cálice com vinho e proclamar:

“Tomai todos, e bebei! Este é o cálice do meu sangue, o sangue da nova e eterna aliança, que será derramado por vós e por todos para a remissão dos pecados: fazei isto em memória de mim!”, entendemos que se dá o milagre da transubstanciação do pão e do vinho no corpo e no sangue de Cristo.

Como católicos, cremos que, a partir daquele momento Cristo se faz presente no pão e no vinho consagrados. Por isso, nós o podemos adorar na hóstia consagrada, sem incorrer em ato de idolatria. Também por isso nós promovemos a adoração ao Santíssimo Sacramento em vários momentos do Ano Litúrgico, particularmente na noite da quinta-feira santa e na festa do Corpo e Sangue de Cristo.

Neste ano, a festa de Corpus Christi tem um caráter especial por ocorrer dentro do Ano da Fé, proclamado pelo Papa na comemoração dos 50 anos de início do Concílio Ecumênico vaticano II. Sem esquecer que o centro da fé cristã é a profissão da fé na trindade do Deus Pai, Filho e Espírito Santo, a Igreja professa a presença real de Cristo na Eucaristia.

E esta presença permanece fora da celebração, razão pela qual a Igreja conserva “com o máximo cuidado as hóstias consagradas, expondo-as aos fiéis para que as venerem com solenidade e levando-as em procissão” (CIC, n° 1379).

João Paulo II ensinou que “Jesus nos espera neste sacramento do amor. Por isso, não regateemos (não pechinchemos) o tempo para ir encontrá-lo na adoração, na contemplação cheia de fé e aberta a reparar as faltas graves e os delitos do mundo. Que nossa adoração nunca cesse” (CIC 1380).

Aproveitemos a festa de Corpus Christi, que acontece na semana que sucede a festa da Santíssima Trindade, para nos unirmos como cristãos e professarmos publicamente a nossa fé na presença de Cristo em nosso meio.

É particularmente significativa a atitude de paróquias e comunidades que se reúnem em uma única e grande celebração nas cidades, para assim testemunharem a comunhão do povo cristão, que é um dos desejos latentes na festa de Corpus Christi.

E é também significativo o povo caminhar em procissão pelas ruas da cidade, seguindo os passos do Cristo Eucarístico que está presente na hóstia consagrada, animado pelo canto:

“Eu te adoro Jesus hóstia! Eu te adoro, Deus de Amor”.

Que o Deus Amor, que é a Trindade do Pai, do Filho e do Espírito Santo, anime e fortaleça a todos na fé da presença real de Cristo na Eucaristia, e nos torne mensageiros de um mundo de paz e comunhão!

Congresso Eucarístico

CE 2014

Liturgia em Mutirão III