CNBB

Quinta, Ago 28th

Last updateQui, 28 Ago 2014 5pm

Você está aqui: Home Articulistas Cardeal Orani João Tempesta Comunicação na era digital

Articulistas

Comunicação na era digital

Dom Orani João Tempesta

Arcebispo Metropolitano de São Sebastião do Rio de Janeiro

A cada ano temos oportunidade de aprofundar um tema de comunicação social por ocasião da comemoração do Dia Mundial das Comunicações Sociais. Neste ano celebraremos o 45º dia a 05 de junho de 2011, no Brasil Solenidade da Ascensão do Senhor. O tema que o Papa Bento XVI escolheu ainda no ano passado, na festa dos Arcanjos Miguel, Rafael e Miguel, foi desenvolvido pelo Santo Padre e publicado no dia do jornalista, 24 de janeiro, festa de São Francisco de Sales.

Neste ano estaremos celebrando o 45º Dia Mundial das Comunicações Sociais, com o tema: “Verdade, anúncio e autenticidade de vida na era digital. O assunto é muito atual, pois a questão da verdade e autenticidade chama atenção para a questão ética e o anúncio para a missão que o cristão tem ao se utilizar da mídia na atual circunstância do mundo. Aqui em nossa Arquidiocese teremos a ocasião de hospedar na PUC de 17 a 22 de julho o 7º Mutirão Brasileiro de Comunicação com o tema Comunicação e Vida, Diversidade e Mobilidades. Além disso, de 12 a 16 do mesmo mês o Pontifício Conselho para as Comunicações Sociais promove em parceria com o Setor Comunicação de nossa Conferência Episcopal no Centro de Estudos do Sumaré aqui no Rio de Janeiro o Seminário de Comunicação para os Bispos.

Como vemos, para nós, no Brasil, neste ano devem ressoar também grandes conquistas já realizadas no campo do trabalho de comunicação que a nossa Comissão Episcopal conseguiu chegar com a graça de Deus: uma foi a criação da Signis Brasil, que congrega todos os meios de comunicação católicos de nosso país, e a outra o Documento de Estudos da CNBB nº 101: “A comunicação na vida e missão da Igreja no Brasil”, que sonhamos que seja a base de um futuro diretório de Comunicações tão sonhado, desejado, almejado.

Enquanto isso, a equipe de assessoria nacional da Pastoral da Comunicação continua seus estudos para proporcionar mais textos de aprofundamento para os comunicadores, com a reflexão de um futuro livro sobre “As novas fronteiras da Pastoral da Comunicação”. Também o Pontifício Conselho para as Comunicações Sociais está convidando os Bispos do Brasil para um Seminário de Comunicação, em julho deste ano, justamente para refletir sobre esse desafio sempre atual que é a comunicação enquanto processo e enquanto meios.

Com o Santo Padre, o Papa Bento XVI, em sua mensagem para o 45º Dia Mundial das Comunicações Sociais, precisamos tomar consciência de que “vai-se tornando cada vez mais comum a convicção de que, tal como a revolução industrial produziu uma mudança profunda na sociedade através das novidades inseridas no ciclo de produção e na vida dos trabalhadores, também hoje a profunda transformação operada no campo das comunicações guia o fluxo de grandes mudanças culturais e sociais. As novas tecnologias estão mudando não só o modo de comunicar, mas a própria comunicação em si mesma, podendo-se afirmar que estamos perante uma ampla transformação cultural. Com este modo de difundir informações e conhecimentos, está a nascer uma nova maneira de aprender e pensar, com oportunidades inéditas de estabelecer relações e de construir comunhão.”

A abordagem do tema deste ano constata de um lado que a realidade da comuniação digital está presente no mundo e o transforma em sua cultura e relacionamentos. Uma constatação que deve situar cada cristão para perguntar-se sobre a sua missão de evangelizador diante dessa realidade. Estamos inseridos em uma sociedade que caminha nessa direção, e a cada dia novas técnicas são colocadas a serviço das pessoas e da sociedade.

E é justamente sobre o tipo de relacionamento e de serviço que poderemos refletir acerca da utilização que fazemos desses meios. Já temos documentos que no passado aprofundaram esses assuntos, como “Igreja e Internet” (28/2/2002), Ética na Internet (28/2?2002) e Ética nas Comunicações Sociais (2/6/2000), além da Carta Apostólica “Rápido Desenvolvimento” de 24 de janeiro de 2005. Aliás, essas mesmas preocupações estão inseridas de maneira resumida no documento conciliar “Inter Mirifica”, que no dia 4 de dezembro de 2014 completará 50 anos.

Para este ano, a importância da imagem de si mesmo e a coerência de vida estão colocadas como uma das preocupações para uma verdadeira comunicação. O espaço virtual, assim como pode nos levar a uma “busca autêntica de encontro pessoal com o outro”, também pode ser um refúgio virtual num mundo paralelo, além da possibilidade de expor-se excessivamente a ele.

A busca de amizades torna o espaço das mídias sociais um lugar de intensas movimentações e divulgação de si mesmo e de seus pensamentos. Hoje vemos como a utilização dessas mídias são pensadas para expor candidatos a cargos políticos, difamações de pessoas e paises e convocação de manifestações públicas. O poder que se revestiu a todo esse espaço tornou-se até mesmo fonte de notícias para os jornais impressos.

Existe também o perigo de estar presente e conectado com o mundo e, ao mesmo tempo, ausente daqueles que estão ao nosso lado. O Santo Padre nos pergunta “quem é o meu próximo?”, e nós mesmos podemos parar para pensar: em “qual mundo vivemos?” e se estes mundos virtuais e presenciais são reais. No entanto, jamais se pode substituir o relacionamento inter-pessoal. Com as novas tecnologias podemos nos encontrar para além dos “confins do espaço e das próprias culturas”, e isso supõe uma coerência de vida e honestidade de princípios. É o retorno do velho ditado que o segredo está justamente no “ser humano” que se utiliza desses meios.

Além da coerência de vida que anuncia suas convicções e sua fé através das mídias, que não pode ser um objeto de consumo, proclamando que Cristo constitui “a resposta plena e autêntica” aos anseios do ser humano, somos chamados também a “testemunhar com coerência os juizos, perfis, escolhas, preferências... de maneira que transpareçam as razões “de nossa esperança”.

Será muito importante que as nossas comunidades, paróquias, capelas, grupos de reflexão aproveitem todos esses elementos que estão disponíveis pelas mídias em geral para que se preparem para bem celebrar o Dia Mundial das Comunicações Sociais com reflexões, atividades, encontros, aprofundamentos e outras criatividades que possam ter para aproveitar esse belo momento de aprofundamento. Incentivo para que todas as equipes de Pastoral de Comunicação comecem desde já a trabalhar esses temas e que isso nos ajude a servir melhor ao povo de Deus em nossa missão eclesial.

A geração digital tem mais facilidades para viver e anunciar nesse mundo, e todos somos chamados a aceitar o desafio e, trabalhando com nossas comunidades, paróquias, pastorais de comunicação, aprofundar, como dissemos, esse tema na semana de comunicação que antecede o Dia Mundial, e contribuir assim para a reflexão sobre esse importante tema da “verdade, anúncio e autenticidade de vida, na era digital.

Liturgia em Mutirão III

Amazônia

Copa do Mundo