As Creches e o Sr. Prefeito

A reportagem de Elvira Moraes (7.fev pp.) no Jornal da Manhã sobre a reunião, que o Sr. Prefeito Municipal fez com as instituições conveniadas com a Prefeitura Municipal, recordou-me os longos anos em que fui o responsável maior de uma das mais antigas creches de São Paulo. Fundada pelo então Padre Gastão Liberal Pinto na década de 20, que foi posteriormente Bispo de São Carlos-SP, é cronologicamente a segunda de São Paulo.

A luta para o sustento das crianças, mais de cem, que ali passavam o dia todo era, sem dúvida, penosa, mas compensadora pelo bem que conseguia fazer a elas e às suas mães, que podiam trabalhar sem a preocupação do cuidado pelos filhos.

A supra citada reportagem me levou ao passado. Por isto sempre me interessei aqui pelas creches que várias instituições religiosas criaram e procuram manter em nossa cidade. Louvo a sinceridade de o Sr. Prefeito ter reconhecido o “atraso nos repasses dos recursos de manutenção às creches comunitárias” (o que os subalternos não reconheciam) e, mais ainda ter afirmado seu “conhecimento das dificuldades impostas pelo atraso”.

É uma fagueira esperança saber que a Autoridade Municipal, de quem depende em grande parte a manutenção dessas crianças, tem a sinceridade de publicamente dizer-se ciente das dificuldades no sustento destes abrigos infantis.

Infelizmente, assoberbada por outros compromissos, a Autoridade Municipal promete reduzir a verba em 10% para este novo ano, em relação aos valores de 2008.  Não pareceu muito clara – pelo menos para mim – a divisão da verba em 70% a ser paga em agosto e 30% restantes no fim do ano. Será que as creches comunitárias, que não têm o suficiente para manter-se a não ser com o valioso auxílio da prefeitura, podem sustentar-se de janeiro a agosto, sem o recurso municipal? Espero que não seja isto o que foi sinteticamente noticiado.

Uberaba é cidade de um povo que sabe apoiar e socorrer as iniciativas, que despontam aqui e ali em favor do bem-estar dos que são menos aquinhoados. As creches comunitárias são imprescindíveis para as muitas famílias de nível econômico menos alto.

Nossos votos são que as 23 instituições conveniadas com a Prefeitura possam merecer das dignas Autoridades, que nos governam, não só a simpatia de um olhar complacente, mas sobretudo a generosidade das mãos abertas. Que os anjos digam Amém.

Dom Benedicto de Ulhôa Vieira

Artigos similares

Certeza cristã

13/10/2010

Escreva um Comentário

Ver todos os Comentários

Seu endereço de email não será publicado. Também outros dados não serão compartilhados com a terceira pessoa. Campos obrigatórios marcados como * *

Share This