Assembleia do COMINA trabalha na finalização do Programa Missionário Nacional

O Programa Missionário Nacional está no centro das atividades da Comissão Episcopal Pastoral para a Ação Missionária e a Cooperação Intereclesial da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) nos últimos meses. Nesta semana, duas reuniões foram momentos de trabalhar na conclusão do texto que deve orientar a atuação da Igreja no Brasil no contexto da missão: a reunião com os bispos referenciais dos regionais e a 36ª Assembleia do Conselho Missionário Nacional (Comina). Ambos os eventos ocorrem na sede das Pontifícias Obras Missionárias (POM), em Brasília (DF).

Foto: CNBB/Daniel Flores

Bispos referenciais
O encontro da Comissão com os bispos referenciais da Ação Missionária dos regionais ocorreu nos dias 3 e 4 de abril. Os bispos trabalharam na conclusão do processo de construção do Programa Missionário Nacional, texto que é fruto das assembleias que aconteceram nos regionais ao longo de 2018.

Outros destaques do encontro foi a avaliação das ações da Comissão no quadriênio que se encerra no próximo mês, com destaque para as experiências missionários, os congressos missionários, as santas missões. “Tudo isso tem ajudado a abrir a Consciência Missionária, e é isso que desejamos: fazer com que cada pessoa batizada, cada cristão católico possa descobrir que é chamado por Deus para seguir Jesus Cristo e para viver a missão na família e nos vários ambientes em que se encontra”, ressalta o bispo auxiliar de São Luís (MA) e presidente da Comissão para a Ação Missionária, dom Esmeraldo Barreto de Farias.

Dom Esmeraldo também conta que os bispos refletiram sobre o projeto de missão ad gentes, as ações no âmbito da CNBB e também dos regionais na vida missionária fora do Brasil: “É um destaque fantástico ver aquilo que acontece em relação ao Timor Leste, a presença missionária em Moçambique –  só de brasileiros já são mais de 115 pessoas, homens e mulheres, leigos, padres, religiosos e religiosas. E na Guiné Bissau, em torno de 30 a 40 brasileiros já se encontram”.

Durante encontro dos bispos referenciais, houve estudo do texto que será o centro do debate da 57ª Assembleia Geral da CNBB, que trata das novas Diretrizes para a Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil. Dom Esmeraldo destacou que foram apresentadas sugestões para que a missão seja um eixo central da ação da Igreja para os próximos anos.

Assembleia do Comina
A Assembleia do Conselho Missionário Nacional neste ano terá um dia a mais de programação para que os participantes possam concluir a preparação do texto do Programa Missionário Nacional e, se houver consenso, aprova-lo. Iniciou na noite desta quinta-feira, 4, com missa presida pelo secretário-geral da CNBB, dom Leonardo Steiner, e segue até domingo, dia 7.

O professor Joaquim Alberto Andrade Silva apresentará o resultado do levantamento de dados realizado a partir das assembleias realizadas nos 18 regionais. É a partir desta sistematização que será abordado o trecho “iluminar” do texto. De acordo com dom Esmeraldo, esta parte trata sobre o que é a missão, Jesus que é o centro da missão, Jesus que nasce da graça da Santíssima Trindade, como a Igreja está presente e acolhida na missão, a espiritualidade missionária.

“Depois de estudar o texto, a assembleia vai escolher três prioridades que devem ser acolhidas e assumidas por todos os regionais, dioceses, paróquias e comunidades do Brasil. Para cada uma das três prioridades, vamos escolher os projetos. São três prioridades e para cada prioridade, três projetos”, explica dom Esmeraldo.

Após aprovado, o programa deve oferecer estas pistas de ação e os regionais “vão poder realizar de acordo com sua realidade”. O desejo de dom Esmeraldo é que a Igreja no Brasil possa ser mais missionária e, caminhando juntos, vivendo este grande espírito missionário, nós possamos ajudar a construir um Brasil que seja justo, pacífico e fraterno”.

Programa Missionário Nacional
O bispo de Chapecó (SC), dom Odelir José Magri, é coordenador do Grupo de Trabalho que prepara o Mês Missionário Extraordinário, que está na pauta da Assembleia do Comina. Confira o que ele fala sobre a apresentação das propostas de atividades para outubro deste ano:

Share This