Assessores das Comissões sugerem propostas ao tema central da 57ª AG da CNBB

Padre Marcus Barbosa, novo secretário adjunto de Pastoral até a 57ª AG da CNBB. Foto: Assessoria de Imprensa CNBB/Daniel Flores

Como de costume, todos os meses o grupo de assessores que colabora com as comissões episcopais pastorais da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) realizou um encontro de estudos e aprofundamento. Nesta segunda-feira, 25/3, a reunião teve uma pauta extensa, com destaque ao estudo sobre a reelaboração das Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora (DGAE) no Brasil para o período 2019-2023, tema central da 57ª Assembleia Geral (AG) da CNBB.

CNBB em ação
Na primeira parte do encontro, dom Leonardo Steiner, bispo auxiliar de Brasília e secretário-geral da CNBB se dirigiu aos assessores com uma palavra de gratidão pelo empenho com que eles colaboraram na produção da revista “CNBB em Ação”, sobre as principais atividades das comissões e que será levada para a AG que será realizada de 1º a 10 de maio, em Aparecida (SP). Ele ainda agradeceu a presença e o trabalho do padre Marcos Barbosa, que aceitou a função de subsecretário de Pastoral até a próxima 57ª Assembleia.

A revista “CNBB em Ação” é publicada regularmente e resulta numa espécie de relatório geral da realização dos projetos que compõem o Plano de Pastoral da CNBB. Cada uma das comissões faz um denso resumo de suas atividades e as transformam em textos breves acompanhados de fotos e, na medida do possível, com uma boa expressão do número de lideranças envolvidas nos 18 regionais da Conferência.

Organização interna
Os assessores fizeram uma revisão cuidadosa sobre as atribuições de cada uma das 12 comissões episcopais pastorais para contribuir com a discussão sobre esse tema que integrará a pauta da Reunião do Conselho Permanente da CNBB que acontece de 26 a 28 de março.

O trabalho de revisão tomou por base um resgate da elaboração das atribuições dessas comissões nos últimos 10 anos considerando por exemplo os textos sobre as tarefas das comissões por ocasião da criação delas pela AG da CNBB.
Tema Central

Os assessores foram recordados das linhas gerais do texto que vai servir de base para as discussões e reflexões na AG da CNBB. O ponto de partida do trabalho de apreciação do texto, disse padre Marcus Barbosa é a pergunta: “Qual a proposta das Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora (DGAE) 2019-2023 para a necessária renovação eclesial, a conversão pastoral, nos tempos atuais?”.

O subsecretário de Pastoral afirmou que “as DGAE estão estruturadas a partir da imagem da comunidade-igreja como ‘casa’. O eixo é a Comunidade Eclesial Missionária, sustentada por ‘quatro pilares”: Palavra, Pão, Caridade e Missão. Em cada um deles, as antigas urgências, aquelas que nos acompanham desde as diretrizes de 2011 são reagrupadas e permanecem mostrando a sua atualidade”.

Padre Marcus Barbosa ainda explicou o processo de preparação desse texto que será discutido pelos bispos: “O processo teve início na 56ª AG, do ano passado. Aqui apareceram as primeiras sugestões para o texto. Também a preparação das Novas Diretrizes foi o tema de reflexão em duas reuniões do Conselho Permanente, em junho e em novembro de 2018. Também na reunião do Grupo de Assessores (GA) neste período foram apresentadas sugestões”.

O religioso informou ainda: “A Comissão das Novas Diretrizes reuniu-se em agosto e dezembro do ano passado e em janeiro deste ano para preparar o texto”. Os assessores apresentaram suas contribuições e apreciações à versão final do texto das DGAE 2019-2023.

Share This