Avaliar, discernir e anunciar

Dom José Gislon
Bispo Diocesano de Erexim

Estimados diocesanos! Estamos prestes a concluir o ano de 2018. Creio ser momento importante para fazermos a avaliação do caminho percorrido a partir da nossa vida pessoal, familiar, institucional e comunitária. Nem sempre é fácil parar para avaliar, porque devemos ter a coragem de nos confrontarmos com as nossas conquistas e também com as coisas que não deram certo, ou não aconteceram como planejamos, ou justamente porque faltou planejamento, que envolvesse as pessoas na família e na comunidade, muitas coisas importantes acabaram não acontecendo porque não receberam atenção adequada da nossa parte.

O hábito de avaliar se faz presente quando temos o costume de planejar. Nesse processo, temos longa estrada a percorrer. Às vezes, optamos pelo improviso, que é característica de uma sociedade em transformação, mas já não responde mais às necessidades de uma ação evangelizadora que busca responder aos anseios e às necessidades espirituais de uma sociedade urbana, na qual a comunidade, como lugar de encontro, precisa continuamente ser construída e reconstruída através do ir ao encontro das pessoas.

A celebração do “Ano Nacional do Laicato”, no Brasil, foi um momento importante para conscientizar, despertar e envolver ainda mais os leigos e leigas na ação evangelizadora da Igreja, mas também foi oportunidade para valorizá-los, como protagonistas da causa do Reino, pelo testemunho de fé que dão na sociedade, sendo “Sal da Terra e Luz do Mundo” (Mt 5,13-14).

Como povo de Deus a caminho, Igreja comunidade de fé, queremos louvar e agradecer ao Senhor pelos acontecimentos deste ano civil que está para terminar, pelas graças recebidas e pela sua misericórdia com as nossas fragilidades. A celebração da festa da Sagrada Família, neste domingo, coloca diante da bondade e do amor do Senhor Jesus a tua família. Ela é o primeiro lugar da nossa existência, no qual precisamos de amor e paz.

No primeiro dia do novo ano, a Solenidade da Santa Mãe de Deus, Maria, marca a caminhada de fé da comunidade, junto com a celebração do Dia Mundial da Paz. E a mensagem do Papa Francisco para a 52º Dia Mundial da Paz começa com uma frase que Jesus disse aos seus discípulos quando os enviou em missão: “Em qualquer casa em que entrardes, dizei primeiro: ‘A paz esteja nesta casa!’ E, se lá houver um homem de paz, sobre ele repousará a vossa paz; se não, voltará para vós” (Lc 10, 5-6).

“Oferecer a paz está no coração da missão dos discípulos de Cristo. E esta oferta é feita a todos os homens e mulheres que, no meio dos dramas e violências da história humana, esperam na paz.[1] A ‘casa’, de que fala Jesus, é cada família, cada comunidade, cada país, cada continente, na sua singularidade e história; antes de mais nada, é cada pessoa, sem distinção nem discriminação alguma. E é também a nossa ‘casa comum’: o planeta onde Deus nos colocou a morar e do qual somos chamados a cuidar com solicitude”.

Meus mais profundos agradecimentos a todos pela participação na caminhada da Igreja de 2018. Que o Espírito Santo continue iluminando os nossos passos, para respondermos com amor e generosidade ao convite do Senhor Jesus, de anunciarmos o Reino de Deus através da nossa vida e missão.

Share This