Católicos Maronitas encerram jubileu de seu padroeiro no Vaticano

sao_maron_padroeiro_catolicos_maronitasNesta quarta-feira, 23, aconteceram no Vaticano as festividades de encerramento do ano jubiliar do padroeiro da Igreja Maronita, São Marun [1600 anos de sua morte]. Diversos eventos marcaram o encerramento do jubileu, entre eles, a inauguração da imagem de São Maron na Basílica de São Pedro. O encerramento contou com a presença da comunidade Maronita de vários países.

O papa Bento XVI abençoou a imagem de São Maron, no lado externo da Basílica de São Pedro. A escultura tem mais de 5 metros de altura e 25 toneladas, esculpida em mármore pelo artista espanhol, marco Augusto Duenchas. A estátua do padroeiro maronita agora completa ao jogo de imagens que circundam o túmulo do apóstolo São Pedro.

Após a bênção, o Patriarca Maronita Nasrallah Pierre Sfeir, celebrou a santa missa em Rito Maronita [o rito maronita prevê a celebração da missa em língua siro-aramaico, a língua que Jesus Cristo falava] no altar da Cátedra de Pedro na Basílica Vaticana.

As celebrações do Jubileu de São Maron tiveram início em 14 de fevereiro de 2010, e foram encerradas nesta quarta-feira, 23. O encerramento contou com a presença de várias autoridades religiosas e civis, dentre elas o Eparca Maronita do Brasil, dom Edgard Madi e o presidente da República Libanesa, General Michel Suleiman.

Igreja Maronita

Os Maronitas são os cristãos católicos orientais que devem seu nome a São Maron. A palavra Maron foi substituída por Maronita que foi dada a um povo que, no Patriarcado de Antioquia, seguiu a orientação religiosa de São Maron e seus discípulos.

Colaborou: Frederico Henrique, assessor do bispado Maronita do Brasil

Escreva um Comentário

Ver todos os Comentários

Seu endereço de email não será publicado. Também outros dados não serão compartilhados com a terceira pessoa. Campos obrigatórios marcados como * *

Share This