Ciência e Bíblia numa briga de mal entendidos

Muitos desentendimentos surgem da falta de entendimento da Bíblia, ou da Ciência, ou das duas. Alguns acham que Deus queria impedir que o homem chegasse a conhecer e dominar demais a natureza. Ora, para que foi que Deus deu a cabeça ao homem?  Não foi para colocar um chapéu, mas para pensar, conhecer e amar.

Dizer que Deus teria proibido comer dos frutos da árvore do conhecimento para não deixar que homens e mulheres aprendessem a distinguir entre o bem e o mal foi a primeira mentira da tentação semeadora de dúvidas a fazer o homem desconfiar das intenções de Deus.

O mal não está em saber distinguir entre o bem e o mal, entre a verdade e o erro, mas em querer cada um decidir entre o certo e o errado, em não aceitar que alguém lhe diga o que é para fazer e o que é para evitar.

Tal tentação é mais atual que nunca. Além de praticar o mal, cada vez mais pessoas querem  justificar tudo que fazem de errado.  Alegam que não se pode confiar na origem divina dos dez mandamentos. Ora, para que obedecer a mandamentos inventados por outros mortais?

Quando muito ainda reconhecem o axioma do filósofo Kant que recomenda como norma do agir a utilidade geral, o bem de todos. Segundo Kant, o critério de escolha seria o resultado que surgisse se todos agissem assim. Com outras palavras, todos devem agir de tal maneira que seu agir concorra para o bem comum. Nada mal.  Se tal receita fosse seguida por todos o mundo estaria bem melhor.

No entanto, se até cristãos não procuram conhecer e seguir os ensinamentos do seu Mestre, como esperar que todos aceitem as orientações de um filósofo qualquer e observem leis votadas pela maioria?  Só se for por medo da polícia. Para onde vai uma sociedade que vê a solução dos problemas no aumento constante de forças policiais e prisões?

Cientistas sem fé e crentes sem razão têm a mesma falta de juizo que Jesus colocou na sua lista de pecados. Uns jogam fora a Bíblia em nome de uma ciência sem filosofia. Outros jogam fora a ciência em nome de uma fé sem fundamentos.  Ambos alegam incompatibilidade entre Bíblia e ciência moderna, entre evolução natural e criação divina.

Pergunto aos que se apegam ao pé da letra das páginas bíblicas que se referem à criação do mundo, se não estão enxergando contradições entre textos da própria Bíblia: O mundo foi mesmo criado prontinho em seis dias? Como eram os dias antes da criação do sol?  Como surgiram plantas no terceiro dia, se o sol foi criado no quarto dia? A família humana foi criada depois dos outros seres vivos, como está escrito no primeiro capítulo do livro da Gênese, ou o homem foi criado antes dos animais do campo e das aves do céu, como diz o segundo capítulo?

Pergunto aos que pretendem explicar as maravilhas da natureza por teorias sobre a evolução das espécies e sobre o início de tudo por um tal de Big Bang:  O que foi que explodiu no Big Bang?  De onde veio aquela matéria-energia formidável que fez surgir a imensidão das estrelas e a terra habitada por tanta variedade de seres vivos tão bem feitos?

Muitos forjaram divergências radicais entre a teoria da evolução do corpo humano e o que a Bíblia diz sobre a criação do ser humano do pó da terra. Para quem acha que o homem seja apenas um descendente de macacos, lembro que o macaco também é feito do pó da terra, assim como todos os seres vivos do mundo material.

Só um cego não vê ou não quer ver que o ser humano tem uma dimensão espiritual que o diferencia dos outros bichos. Não vou perder meu tempo a discutir com filhotes de macacos, nem que aprendessem a falar como papagaios.

Tenho a impressão que algumas pessoas, ateus e crentes, além de querer ensinar o Pai-Nosso ao vigário e ao Papa, agora querem ensinar a Deus como devia ter feito o mundo. Certos cientistas se acham tão competentes que pensam que teriam feito um mundo melhor, se tivessem o poder de Deus.

Na realidade, o mundo seria mesmo melhor, se o homem realizasse melhor a missão que recebemos de Deus que nos confiou o domínio sobre a terra. Domínio cada vez maior com o progresso da ciência e da tecnologia.

Depois de usar mal o poder que Deus nos confiou, não adianta reclamar.

Prezo muito a ciência, mas ainda não surgiu nenhuma teoria razoável que explicasse a origem do mundo sem um ser inteiramente diferente da matéria, um criador que filósofos gregos chamaram de Deus. Numa perspectiva de fé, são dois os livros que nos falam de Deus: a Bíblia e a Natureza. Os dois precisam ser lidos com bom senso, em procura sincera da verdade.

Leia os textos com atenção, vendo na Bíblia não um manual de ciência, mas um poema sobre a criação divina do mundo e de todos os seres que o povoam. São textos acessíveis ao entendimento dos homens de muitos séculos antes de Cristo e abertos aos conhecimentos dos homens de hoje e de amanhã.

Alguns textos me parecem até precursores da teoria da evolução das espécies:  E Deus disse: Produza a terra plantas com sementes. …  Produza a terra seres vivos de diferentes espécies. E a terra produziu, e continua produzindo.  E a evolução continua.  A evolução do homem também.  Nem sempre para o bem.

Dom Cristiano Jakob Krapf

Escreva um Comentário

Ver todos os Comentários

Seu endereço de email não será publicado. Também outros dados não serão compartilhados com a terceira pessoa. Campos obrigatórios marcados como * *

Share This