Círio de Nazaré em Marabá reuniu milhares de fiéis em celebrações

A diocese de Marabá (PA) realizou entre os dias 14 e 15 de outubro o 37º Círio de Nossa Senhora de Nazaré. Foram milhares de pessoas da cidade de Marabá, das regiões Sul e Sudeste do Pará e de outros estados que participaram das missas e procissões em honra à Rainha da Amazônia. O tema aprofundado neste ano foi “Ó Maria, ajudai-nos a viver a fé, esperança e a caridade”.

Foto: Diocese de Marabá/Felipe Borges

A primeira atividade do Círio foi a missa na paróquia São Francisco de Assis, em Marabá, seguida do percurso rodoviário até o Santuário de Nossa Senhora de Nazaré. Após o trajeto ao santuário, houve a caminhada com a berlinda onde estava a imagem de Maria, que foi levada até a comunidade Santa Rosa em um carro do Exército.

Em seu percurso, a caminhada passou às margens do Rio Tocantins, onde tradicionalmente se realiza o Círio Fluvial. Neste ano, por conta do baixo nível das águas, não foi possível fazê-lo. “Tivemos um momento de oração sobre o Rio Tocantins pedindo a Deus pela intercessão de Maria a graça da chuva e também foi um momento de conscientização para a preservação do Rio sem a derrubada de matas”, contou o bispo de Marabá, dom Vital Corbellini que presidiu as celebrações e participou das procissões.

Homenagens foram feitas pelas famílias a Nossa Senhora de Nazaré na Marabá Pioneira, região mais antiga do município. Com uma multidão reunida, foi celebrada outra missa, quando aconteceu a troca do manto de Nossa Senhora. A Eucaristia foi seguida de um show com o padre Reginaldo Manzotti.

No domingo, o trajeto foi em sentido oposto do realizado no sábado: da Marabá Pioneira até o Santuário, localizado na praça da Folha 16. “Um percurso de mais de sete quilômetros. Muitas pessoas estavam agarradas à corda da berlinda, agradecendo graças alcançadas, outros estavam fazendo pedidos, outros o fizeram pela devoção à Nossa Senhora de Nazaré”, conta dom Vital.

“A procissão foi bastante orante onde teve um momento de pedido de perdão a Deus e aos irmãos pelos pecados nossos, faltas das pessoas e do mundo contra Deus. O povo de Deus foi se agrupando ao longo do caminho formando uma grande multidão de fiéis, que cantavam, louvavam a Deus por Nossa Senhora de Nazaré”.

Após a chegada ao Santuário, foi celebrada a missa de encerramento. “Tudo foi bonito porque o Círio de Nossa Senhora de Nazaré é inexplicável, é lindo, é algo de Deus para a nossa vida de cristãos, católicos e católicas. É a presença de Maria na vida do povo de Deus. Maria nos leva Jesus no qual leva os pedidos que realizamos a ela são conduzidos a Jesus Cristo, o seu Filho. Ela nunca está sozinha, mas está sempre com o seu Filho”, comentou o bispo.

Virtudes teologais
Dom Vital ainda explicou que o tema escolhido para o Círio marabaense abordou a fé, a esperança e a caridade, “as virtudes teologais nas quais Maria as viveu na sua intensidade”.

Círio Missionário
Neste ano, aconteceu o Círio Missionário, iniciativa que visitou 1257 famílias em diversas comunidades das paróquias da cidade de Marabá. “Foi a presença de Maria e de Jesus Cristo na vida familiar”, conta dom Vital. A imagem do Círio fez visitas em diversas instituições, paróquias, comunidades, cárceres, universidade, emissoras de TV e associações. Para o bispo diocesano, a participação popular nas missas das comunidades foi algo bastante positivo, “de fé a Nossa Senhora de Nazaré e ao seu Filho Jesus Cristo”. Ele também ressaltou a manifestação nas ruas como algo bonito, “onde o povo de Deus rezava, cantava de uma forma alegre. O Círio de Nossa Senhora de Nazaré de Marabá marcou a vida do povo de Deus pela fé simples, singela das pessoas a Maria e a Jesus Cristo e ao mesmo tempo a vontade de marcar presença junto à comunidade”.

“A fé do povo de Deus em Maria é algo bonito. Deus seja louvado por ter-nos dado uma mãe. O Círio possui também a dimensão missionária de ida para os outros como o Senhor Jesus nos envia sempre em missão fazendo com que a Igreja seja cada vez mais missionária”.

Share This