Composição da Comissão Episcopal para o Laicato da CNBB para o quadriênio 2019-2023

Com a apreciação das sugestões de nomes dos assessores na 99ª reunião do Conselho Permanente e a nomeação dos mesmos pela presidência da CNBB, fica completa a composição das Comissões Episcopais Pastorais da entidade para o próximo quadriênio (2019-2023), com presidente, bispos e assessores.

Na última Assembleia Geral da CNBB, realizada em Aparecida (SP), de 1º a 10 de maio, foram eleitos os presidentes das comissões episcopais. Na última reunião do Conselho Permanente foram definidos os nomes dos bispos que integrarão as comissões sugeridos pelos presidentes e aprovados pelo conjunto do conselho.

O portal da CNBB passa, a partir desta edição, a apresentar a composição completa das comissões com um breve currículo dos bispos que a integram. Veja como fica a composição da Comissão Episcopal Pastoral para o Laicato:

Presidente:
Dom Giovane Pereira de Melo
O bispo de Tocantinópolis (TO), dom Giovane Pereira de Melo, foi eleito novo presidente da Comissão Episcopal Pastoral para o Laicato da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) para os próximos quatro anos durante a 57ª Assembleia Geral da CNBB, em maio, em Aparecida (SP). Ele é natural de Salinas (MG). Foi ordenado presbítero em 24 de março de 1990, na diocese de Rondonópolis (MT). Foi ordenado para o episcopado pela imposição das mãos de dom Juventino Kestering, no dia 8 de maio de 2009, com o lema: “Cuidarei do rebanho de Deus a mim confiado” (Ez 34,11). Dom Giovane foi bispo referencial das Comunidades Eclesiais de Base (CEBs), no estado do Tocantins regional Norte 3, e membro da Comissão Episcopal para o Laicato da CNBB, sendo o responsável pelo acompanhamento do Setor CEBs em âmbito nacional.

Bispos referenciais:
Dom José Mário Scalon Angonese, bispo de Uruguaiana (RS)
Dom José é bispo de Uruguaiana desde maio de 2017, quando foi transferido da sede titular de “Giufi” e do ofício de auxiliar na arquidiocese de Curitiba. Nascido em 1º de junho de 1960 no município de Unistalda (RS), dom José  foi ordenado sacerdote em dezembro de 1989. Em fevereiro de 2013, dom José Mário foi nomeado bispo auxiliar de Curitiba, pelo papa Bento XVI. Seu lema episcopal é “Eis-me aqui, envia-me”, inspirado no profeta Isaías.

Dom Gabriele Marchesi, bispo de Floresta (PE)
Dom Gabriele é nascido em Incisa in Val d’Arno, em 1953, ele cursou filosofia no seminário diocesano de Fiesole, e teologia em Florença. Foi ordenado padre em 6 de julho de 1978, em Fiesole[1][2]. Foi pároco em vários lugares da diocese de Fiesole, na Itália, até o ano de 2003, quando muda-se para o Brasil e passa a trabalhar na diocese de Viana[4]. Foi nomeado Bispo de Floresta, pelo Papa Bento XVI, em 21 de fevereiro de 2013 e foi consagrado em 18 de maio de 2013, por Dom Sebastião Lima Duarte, bispo de Viana, tendo como co-sagrantes Dom Xavier Gilles de Maupeou d’Ableiges, bispo-emérito de Viana e Dom Gastone Simoni, bispo-emérito de Prato.

Dom Roberto Francisco Ferrería Paz, bispo de Campos (RJ)
Bispo de Campos (RJ), desde junho de 2011, dom Roberto, nasceu em Montevidéu (Uruguai), em 05 de junho de 1953. Há muitos anos é cidadão brasileiro. Sua Ordenação Sacerdotal aconteceu a 16 de dezembro de 1989, e incardinado na Arquidiocese de Porto Alegre – RS. Nomeado bispo auxiliar da arquidiocese de Niterói com a sede titular de Accia, em 19 de dezembro de 2007, foi ordenado bispo na catedral metropolitana de Porto Alegre, no dia 22 de fevereiro de 2008, por dom Alano Maria Pena O.P. e apresentado na Arquidiocese de Niterói no dia 03 de março de 2008.

Como bispo, ele exerceu as seguintes atividades: Bispo Auxiliar de Niterói-RJ (2008); Vigário Geral da Arquidiocese de Niterói-RJ (2008); Assessor da CAMPEP (Comissão Arquidiocesana de Niterói da Pastoral de Educação Política) (2008); Assessor de Pastoral da Educação; Responsável pelo Setor Cultura da CNBB, na Comissão Episcopal Comunicação, Cultura, Universidades e Ensino Religioso (2008); Professor de Direito Canônico Eclesiástico no Instituto Filosófico e Teológico do Seminário São José de Niterói (2008); Bispo Assessor das Novas Comunidades da Arquidiocese de Niterói (2008); Responsável pela Comissão Bilateral Nacional Diálogo Católico-Presbiteriano (IPU-Igreja Presbiteriana Unida) (2010). Seu lema episcopal é  “Fostes chamados para a liberdade”.

Assessores:
Professor Laudelino Augusto dos Santos Azevedo – Itajubá (MG)
Celso Carias – CEB’s – Duque de Caxias ( RJ)
Padre Paulo Adolfo Simões – CEFEP – Pouso Alegre (MG)

Share This