“Comunidades são convidadas a celebrar a Palavra de Deus”, afirma dom Geremias

O bispo de Paranavaí (PR), dom Geremias Steinmetz, que preside uma Comissão especial sobre a celebração da Palavra de Deus falou aos jornalistas sobre o texto apresentado aos bispos na manhã de hoje. Tal reflexão parte do desafio que a maior parte das comunidades do Brasil tem por não ter dominicalmente a celebração da eucaristia. Em alguns casos, o período pode chegar a quase dois anos. “Essas comunidades vivem, celebram, são convidadas a celebrar dominicalmente a Palavra de Deus”, indicou dom Geremias.

A Comissão foi formada a partir de uma solicitação do Conselho Permanente da CNBB com a missão de caracterizar melhor a Celebração da Palavra de Deus e oferecer propostas concretas de roteiros, diante da realidade atual, oferecendo novas pistas, como o Documento 52 da CNBB, de 1992, “Orientações para a celebração da Palavra de Deus”. Entre as preocupações dos bispos, está a necessidade de pensar a celebração da Palavra de modo distinto da Missa. O texto preparado tem como eixo principal valorizar o domingo.

De acordo com dom Geremias, o texto pretende refletir sobre como essas comunidades, mesmo não celebrando a Eucaristia dominicalmente, “podem santificar o domingo, por isso, a nossa Assembleia trabalha a partir de uma primeira questão que é o domingo. O significado do domingo cristão e especialmente as três principais pontuações do domingo que são: dia da comunidade, dia da Palavra e dia da Eucaristia”.

Após falar das dos três aspectos do domingo, o texto trata da celebração dominical da Palavra de Deus, a partir dos documentos da Igreja. Dom Geremias revelou que em uma terceira parte da proposta apresentada aos bispos são abordados os ministérios: “quem preside, como preside, a questão da homilia, da formação desses ministros extraordinários da comunidade, da palavra, da Eucaristia”. Para o bispo, “pode-se dizer seguramente” que a instituição dessas celebrações representa “uma das grandes experiências pastorais que a Igreja viveu no Brasil no pós-concilio, porque são milhares de pessoas no Brasil preparadas para presidir as comunidades que não têm a Eucaristia dominical, mas que assim valorizam, santificam o domingo a partir da vivencia e da reflexão da celebração da Palavra de Deus”.

Roteiro

Perguntado se há alguma proposta de roteiro para as celebrações da palavra, dom Geremias explicou que entre as coisas que devem ser discutidas, está o esquema para as celebrações da Palavra. O que deve ficar claro é evidenciar a diferença entre Missa e a celebração da Palavra: “Às vezes as pessoas confundem e dizem ‘a missa do ministro, a missa da irmã, a missa do diácono’ e isso faz muito mal para a pastoral na comunicação como um todo do que realmente ela é, porque existe uma questão que é sacramentalidade da Palavra de Deus”.

Dom Geremias ainda respondeu questões sobre a formação dos responsáveis por presidir as celebrações nas comunidades, ressaltou o valor da Eucaristia para o sustento da fé e confirmou que está na reflexão de toda a Igreja, a partir da motivação do papa Francisco a ordenação de diáconos permanentes e dos viri probati, homens casados de fé comprovada, que podem se tornar padres.

Foto: Maurício Sant’Ana
Share This