Conferencistas advertem assessores de imprensa para situações de crise e desafios do jornalismo institucional

“Desafios e conflitos do jornalismo institucional” e “Relacionamento com a imprensa em situações de crise institucional e política”. Foram com estes dois temas que, respectivamente, o professor da Universidade Católica de Brasília (UCB) João José Curvello e a jornalista da Globo News, Cristiana Lôbo, abriram a manhã de trabalhos no 4º Encontro de Jornalistas das Dioceses, Regionais e Organismos da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), que acontece em Brasília e reúne 54 jornalistas.

Para o professor, os jornalistas em assessorias de imprensa de organizações, devem se preocupar em encontrar caminhos para fazer uma ‘comunicação’ que seja acessada, entendida e garanta ao público ações a partir da comunicação difundida pelas organizações. “É preciso elaborar estratégias de comunicação para agregar valor às informações da instituição. A comunicação nesse contexto é fundamental na construção do sentido na sociedade e nos ambientes organizacionais, considerando os valores agregados”, disse.

joao_curvelloCurvello explicou a estrutura das organizações na atualidade para dizer que elas funcionam inseridas no capitalismo e centradas na informação; segundo ele, ferramenta esta que viabiliza seu funcionamento. “As organizações são como teias, como engrenagens de uma máquina como bem retratou o filme de Chaplin, Tempos Modernos; são como o cérebro humano e toda a sua estrutura complexa; a comunicação está inserida em tudo isso e se torna um foco das instituições porque o capitalismo é centrado na informação que mobiliza a economia”, destacou o palestrante.

Agregar valor à informação foi um ponto bastante citado por Curvello. De acordo com ele a comunicação deve estar atenta à geração de sentido para a sociedade. “Se não agrega valor para a sociedade ao que se divulga, não faz sentido fazer comunicação na organização”, sublinhou. “Não é quem comunica que faz o sentido, mas o próprio processo comunicacional”. Completou.

O professor chamou ainda a atenção para a importância de se efetivar uma comunicação que fale a “língua” da comunidade para que possa ser entendida. Destacou a preocupação que o assessor de imprensa deve cultivar de colher desempenho, nível da efetividade e alcance da informação que se estabelece. “A maneira como uma organização conversa, condiciona as possibilidades de desempenho, sua viabilidade, seu êxito ou seu fracasso, que dependem de como se conduz a comunicação”.

Crise na instituição

cristiana_lobo“Em situações de crise, o mais importante aos assessores de imprensa é manter a clareza e transparência ao falar com os jornalistas”, defendeu a jornalista da Globo News, Cristiana Lôbo, durante sua exposição sobre “O relacionamento com a imprensa em situações de crise institucional e política”. Ela afirmou também que a busca da linguagem da ‘comunidade’ deve ser uma inquietação constante dos assessores de imprensa.

A jornalista aconselhou os assessores de imprensa a observarem os acontecimentos em todos os níveis sociais e espaciais para que uma crise não venha a pegar a organização assessorada de surpresa. “Vamos observar o que acontece no mundo para que possamos resolver a crise local que também pode ser uma crise mundial. Não podemos ser pegos de surpresa com uma crise que estourou longe e chegou ao nível local”, alertou.

jornalistas_encontroO desafio das assessorias de imprensa da Igreja hoje, disse ainda Cristiana Lôbo, “é circunscrever os problemas ao homem, não à Igreja, pois a Igreja é feita de homens que podem errar”. Lôbo apontou que, “não criar molduras para a crise pode ser o melhor caminho para gerenciar uma crise e, não seguir o caminho correto e depois voltar atrás pode aumentar os efeitos da crise”, advertiu.

O 4º Encontro de Jornalistas da CNBB segue até amanhã, 27, ao meio-dia, quando serão feitos os encaminhamentos finais.

Confira fotos do Encontro no Flickr.

Baixe todos os arquivos do encontro aqui.

Escreva um Comentário

Ver todos os Comentários

Seu endereço de email não será publicado. Também outros dados não serão compartilhados com a terceira pessoa. Campos obrigatórios marcados como * *

Share This