Confiar é Preciso

Queridos(as) amigos(as) é com muita saudade que vos escrevo estas poucas linhas, na esperança de que alguém, daí do outro lado do oceano, me envie algum sinal de vida. Confesso que sinto falta das notícias e novidades que estão rolando por aí. Infelizmente, tenho me comunicado com pouquíssimas pessoas do brasil nestes últimos meses. De minha parte, também tenho escrito pouco, por estar muito atarefado e as vezes por preguiça.

Aqui na missão a vida segue “normal”, como dizem por aqui. A grande novidade foi a chegado do Padre Maurício que veio do Brasil pra fazer parte da equipe missionária. Ele está muito animado e disposto, conhecendo aos poucos a vida do povo e da missão, mergulhado num mar de novidades. Sua chegada traz  esperança e alegria para nós e para o povo. A esperança e a alegria de que Deus não os esqueceu e que continua enviando pessoas de boa vontade para estar junto com eles. Para viver com eles unidos na mesma fé e na mesma esperança.

Apesar da alegria da chegado de mais um missionário o mês de setembro também traz o drama da falta de água e da escassez de comida. Assim será até o período da chuva que ainda está distante. Com sorte talvez a chuva comece a cair lá por dezembro.

O cenário é angustiante. O verde do capim e das árvores aos poucos foi desaparecendo. Os rios estão cada vez mais secos e quase não se vê água. As queimadas descontroladas, associadas ao forte vento que sopra sem parar, devoram tudo o que encontram no caminho deixando um rastro de fumaça e de cinzas. Para agravar ainda mais a situação nos hospitais não há medicamentos para a malária o que leva muitas pessoas, principalmente crianças, a perderam a vida. Essa semana ouvi de fonte segura, um médico italiano que tenta ajudar por aqui, que o hospital da vila de Moma é o piore do país. Se os melhores já não são grande coisa, imaginem como ficam os piores.

Mas nem por isso o povo se desespera. A dor e sofrimento estão estampados no rosto dessa gente que sofre calada e pacientemente. O olhar sereno e tranqüilo, apesar de tantos motivos para se desesperarem, revela que este povo tem muita fé e confiança em Deus. Se os poços e os rios secaram, não adianta lamentar, eles sabem aguardar pacientemente a chuva, que um dia virá e trará água para todos. Se o fogo queimou as matas e o capim, eles também sabem que debaixo das cinzas estão escondidas as sementes, esperando para explodirem e devolverem a vida e o verde da natureza. Se as crianças morrerem por falta de remédio e atendimento médico, eles choram e sofrem a dor da perda, mas, esperam que Deus envie outros filhos .

Este povo entende muito de cruz, mesmo que a maioria  nada saibam de Jesus. E como Jesus sabem esperar, com sua serenidade e paciência, os sinais de morte que estão por todos os lados, se transformarem em vida nova.

Tenho recebido muitas lições de vida deste povo que nunca sentou nas cadeiras das universidades, mas que são mestres da vida. Dão lições de como enfrentar a dor e o sofrimento com sabedoria. De como viver com simplicidade e desprendimento, sem aquele apego pelas coisas matérias. Sabem esperar a hora certa. Aconselham com sabedoria e discernimento impressionante. Arrisco dizer, que muitos vivem o Evangelho sem o conhecer e sem saber.  Muitos são mais cristãos do que a maioria dos cristãos que conhece, e eles nem sabem disso. Partilham o pouco possuem com uma gratuidade impressionante. Enfim, só estando aqui para entender esse mundo e essa gente.

Por isso me sinto feliz e privilegiado. Deus tem sido muito generoso comigo. Estar na missão em Moçambique é uma graça de Deus que não tem explicação. Bom seria se mais pessoas pudessem ter essa experiência.

Já estou até sentindo em ter que voltar e deixar essa missão tão bela e gratificante. Já sinto saudade dessa gente e desse lugar. Mas ainda há muita água pra rolar, só Deus sabe do nosso destino e é a ele que eu  sirvo.

Padre Fabiano Dalcim

Moçambique – África

Artigos similares

Ano Paulino

28/07/2008

Escreva um Comentário

Ver todos os Comentários

Seu endereço de email não será publicado. Também outros dados não serão compartilhados com a terceira pessoa. Campos obrigatórios marcados como * *

Share This