Congresso Missionário da Província de Mariana aprova carta-compromisso

De 27 a 29 de abril a Província Eclesiástica de Mariana realizou o 1º Congresso Missionário na cidade de Itabira, com o tema “A missão no contexto de mudança de época”. Todas as dioceses da província marcaram presença, Caratinga, Governador Valadares, Itabira/Coronel Fabriciano e a arquidiocese Mariana, com a participação de cerca de 400 pessoas, entre eles bispos, padres, seminaristas e religiosos.

“A Igreja é essencialmente missionária, senão for não será a de Jesus Cristo” afirmou o bispo anfitrião, dom Odilon Guimarães Moreira, durante suas palavras de acolhida. Já o arcebispo metropolitano de Mariana, dom Geraldo Lyrio Rocha, alertou os participantes dizendo que estamos perdendo a identidade do cristão de serem verdadeiros discípulos missionários, mostrando, ainda, a importância do Concílio Vaticano II e da Conferência de Aparecida.

O segundo dia iniciou-se com o momento de oração, músicas, teatro, apresentação das realidades de cada diocese e a reflexão temática do congresso com o padre Camilo Pauletti, diretor das Pontifícias Obras Missionárias no Brasil (POM), e assessor do encontro, que compartilhou sua experiência missionária em Moçambique. O padre afirmou que “a experiência mais bonita, o gesto mais bonito de uma pessoa, é a partilha” e ainda continuou “toda a vida é missão, e Deus é o protagonista da missão”. No período da tarde os participantes puderam conferir de perto as atividades propostas em cada eixo temático divididos em vários grupos: Ad Gentes, comunicação e missão, IAM, Infância e Adolescência em Missão, juventude missionária, políticas públicas, Igrejas irmãs, ecumenismo e missão, missões populares, e espiritualidade missionária. À noite houve a Celebração Eucarística nas diversas comunidades de Itabira.

No domingo, 29, logo após o momento de oração, bem cedo, foi realizado o plenário dos eixos temáticos, com a participação de assessores relatando os pontos relevantes do debate e os dois compromissos a serem assumidos pela Província de Mariana.
A Missa de Envio, presidida por dom Geraldo, e concelebrada por dom Odilon mais dez padres, e um diácono da diocese de Governador Valadares, encerrou o evento. Durante sua homilia, dom Geraldo exortou: “Deus nos livre de nos tornamos mercenários do Reino, Jesus é o Bom Pastor, que ama, cuida de suas ovelhas, e quando fala que há outras ovelhas que não fazem parte deste redil, manifesta a missão Ad Gentes, além fronteiras”, dizia.

Segundo seus organizadores, este 1º Congresso Missionário da Província Eclesiástica de Mariana serviu de animação em preparação ao Congresso Nacional, que será realizado no mês de julho (de 12 a 15), na cidade de Palmas (TO).

Leia a carta abaixo:

Carta ao Povo de Deus da Província Eclesiástica de Mariana

Nós, os 400 participantes do I Congresso Missionário da Província Eclesiástica de Mariana, formada pela Arquidiocese de Mariana e pelas Dioceses de Caratinga, Governador Valadares e Itabira/Coronel Fabriciano, vimos partilhar com os irmãos e irmãs de nossas comunidades, as alegrias e as esperanças intensamente vividas e celebradas nesse encontro de discípulos-missionários de Jesus Cristo.

Convocados pelo Espírito Santo, através de nossos pastores, nos reunimos de 27 a 29 de abril de 2012, em Itabira-MG, para discutir os desafios da Missão num contexto de mudança de época.  Inspirou-nos o mandato do Ressuscitado: Ide e evangelizai todos os povos.

Éramos uma multidão de mulheres, homens, jovens e crianças, vinda das mais diversas paróquias das quatro dioceses da Província. O rosto de todos estampava o sorriso da alegria de ser discípulo de Jesus Cristo e, na mochila, cada um trouxe seu testemunho missionário. Foram dias de intensa espiritualidade, alimentada por animadas celebrações, e de profundas reflexões baseadas na troca de experiências e no estudo da Palavra de Deus e do ensinamento da Igreja.

Aqui, pudemos ver a caminhada missionária de nossas dioceses, no embalo do que nos propõe o Documento de Aparecida. Vimos que os ritmos são diferentes. Animou-nos, no entanto, constatar o mais importante: todas estão com o pé na estrada encaminham olhando para frente, com o desejo e o empenho de concretizar o ideal vindo da Conferência de Aparecida, retomado pelas Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil como uma das urgências da evangelização: ser uma Igreja em estado permanente de Missão.

Confortou-nos a presença do arcebispo de Mariana, Dom Geraldo Lyrio Rocha, e do bispo de Itabira/Coronel Fabriciano, Dom Odilon Guimarães Moreira. Fazendo-se um de nós, puseram-se em nosso meio como pastores que conhecem e amam suas ovelhas. Deram-nos segurança e alimentaram nossa confiança para vivermos nossa vocação missionária em nossas igrejas particulares. Não somos ovelhas sem pastor!

Enriqueceu-nos também, com sua presença e palavra iluminadora, o diretor das Pontifícias Obras Missionárias, padre Camilo Pauletti, que abriu nosso olhar para enxergar as mudanças por que passa o mundo, que é o chão da missão. O próprio Cristo nos recordou isso quando rezou ao Pai por seus discípulos: “Não peço para tirá-los do mundo, mas para guardá-los do Maligno” (Jo 17,15).

Padre Camilo nos incentivou a conhecer cada vez mais a realidade para que nossa missão produza os frutos de que o Reino necessita. Recordou-nos o caminho histórico da Igreja, no esforço de viver sua missão evangelizadora. Alertou-nos para o processo de secularização por que passa o mundo. Fez-nos ver, mais uma vez, que “a missão é um serviço que transforma e liberta as pessoas, dá novo sentido à caminhada, sempre a partir de situações concretas”. Exortou-nos, por fim, a “sacudir as energias adormecidas, dar asas aos sonhos; a aprender com as lições do passado e nos lançar para frente; a pôr os pés na estrada, perder o medo e acreditar”, porque a Missão é de Deus e seu protagonista é o Espírito Santo.

Marcou nosso encontro, também, a partilha nos grupos que discutiram a relação da Missão com Comunicação, Políticas Públicas e Ecumenismo. Debatemos ainda a Infância, Adolescência e Juventude Missionária, Missão Continental, Missão Ad Gentes, o projeto Igrejas Irmãs e a Espiritualidade Missionária. Foram momentos em que testemunhamos a riqueza que cada um traz dentro de si. Nos grupos, pudemos entender melhor que “a dinâmica da missão implica sempre um sair ao encontro” e que “missionário não é aquele que acolhe, mas é o acolhido pelo outro: ele não é o dono da casa, mas o hóspede”, conforme nos recorda o teólogo padre Estêvão Raschietti.

Nosso desejo é de que este encontro marque nossas vidas e nossas comunidades. Sonhamos com todos os serviços de nossas dioceses e paróquias – pastorais, movimentos, associações, novas comunidades, CEBs etc – comprometidos com a missão.

Por isso, nos comprometemos a:

1.Assumir nossa vocação de discípulo-missionário, fazendo a experiência do encontro com Jesus Cristo, indo ao encontro do outro para partilhar esta experiência;
2.Preparar os missionários de nossas comunidades a fim de que fortaleçam sua experiência do encontro com Jesus Cristo;
3.Criar grupos de Infância e Adolescência Missionária nas paróquias da Província Eclesiástica de Mariana, capacitando os assessores;
4.Investir na comunicação com vistas a formar comunidades evangelizadas e evangelizadoras, usando os meios disponíveis, inclusive as mídias sociais;
5.Formar os comunicadores cristãos para que, através dos meios de comunicação social, despertem a consciência de todos os batizados para seu compromisso de discípulos missionários;
6.Fortalecer o Projeto Igrejas-irmãs;
7.Assumir um projeto comum de Província em prol de nossas Igrejas-irmãs, criando entre as nossas dioceses maior estrutura de comunhão e compromisso missionário de modo a favorecer, com mais frutos, a missão além-fronteiras.
8.Fortalecer os Conselhos Missionários Diocesanos e Paroquiais;
9.Animar o projeto de missão permanente com ênfase nas Santas Missões Populares;
10.Preparar missionários, enviando-os para a missão além-fronteiras;
11.Ter atenção aos mais pobres da Província;
12.Fortalecer a educação nas bases, através dos Grupos de Reflexão, e fazer chegar às comunidades material de formação política com orientações aos eleitores para o exercício consciente da cidadania;
13.Trabalhar a dimensão social do dízimo;
14.Promover a formação das juventudes de forma sistematizada, unindo teoria e prática na construção de um modelo de jovem missionário;
15.Fortalecer a identidade de jovem missionário;
16.Celebrar a Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos;
17.Celebrar a Semana da Família Ecumênica

Que Jesus, o Bom Pastor, nos conceda abundantes vocações missionárias e que a Virgem Maria, estrela da evangelização, nos inspire a viver estes compromissos. Nosso primeiro encontro missionário seja lembrado com as palavras do poeta, cuja terra nos abrigou nesses dias: “Mas as coisas findas, muito mais que lindas, estas ficarão” (Carlos Drummond de Andrade).

Itabira-MG, 29 de abril de 2012
Domingo do Bom Pastor

Escreva um Comentário

Ver todos os Comentários

Seu endereço de email não será publicado. Também outros dados não serão compartilhados com a terceira pessoa. Campos obrigatórios marcados como * *

Share This