Conselho Permanente da CNBB discute situação dos imigrantes no Brasil

A secretária executiva do Setor Mobilidade Humana da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), irmã Rosita Milesi, apresentou hoje, 10, aos bispos do Conselho Permanente, dados relativos à imigração no país. Segundo a religiosa, existem atualmente no Brasil mais de 2 milhões de imigrantes, índice considerado baixo em relação à população brasileira.

De acordo com a irmã Rosita, o fluxo migratório provém mais recentemente do Haiti, Bangladesh, Senegal, República Democrática do Congo, Gana, Síria, Guiné Bissau, Paquistão, Nigéria e Mali, sendo que nos últimos 4 anos entraram no Brasil cerca de 35 mil haitianos.

Irmã Rosita chamou a atenção para a formação de redes de tráfico de migrantes no caminho entre Haiti, República Dominicana, Equador, Peru, Bolívia até chegar ao Brasil.

A secretária executiva lembrou a nota da CNBB aprovada pelos bispos durante a 52 Assembleia Geral, em Aparecida (SP), de 30 de abril a 9 de maio. “Nosso sentimento cristão não nos deixa insensíveis diante do sofrimento de todos os imigrantes haitianos, senegaleses, bengalis, bolivianos e de tantas nacionalidades que chegam ao nosso país”, diz o texto.

Na nota, os bispos destacam a situação do Haiti, “onde a pobreza e a falta de condições de vida há anos provocam verdadeiro êxodo migratório”. Recorda que a “Igreja do Brasil está presente no Haiti com uma atividade missionária e assistencial intensa, ajudando na reconstrução social e na promoção humana de seu povo” e reitera o apelo aos governos brasileiro e de outros países que, em nível internacional, intensifiquem os seus esforços para a reconstrução deste país, sobretudo de sua capital Porto Príncipe, onde 350 mil de seus habitantes vivem em 496 acampamentos”.

Escreva um Comentário

Ver todos os Comentários

Seu endereço de email não será publicado. Também outros dados não serão compartilhados com a terceira pessoa. Campos obrigatórios marcados como * *

Share This