Conselho Permanente da CNBB homenageia o MEB no seu cinqüentenário

O Movimento Educação de Base (MEB) recebeu, na noite de hoje, uma homenagem do Conselho Permanente da CNBB pela comemoração de seus 50 anos. Uma sessão solene, realizada no auditório Dom Helder Câmara, na sede da Conferência, em Brasília, relembrou a história do Movimento, criado no dia 21 de março de 1961.

MEBDomGeraldoO presidente da CNBB, dom Geraldo Lyrio Rocha,lembrou o pioneirismo do MEB na educação de base à distância no país. “Em 1960, o Movimento de Educação de Base torna-se o precursor da educação de base popular à distância por meio das escolas radiofônicas, nascidas na Arquidiocese de Natal por iniciativa do então bispo auxiliar, dom Eugênio de Araújo Sales”, recordou dom Geraldo.

Dom Geraldo destacou também a parceria da Igreja como o Governo na execução do projeto. “O MEB, ao celebrar 50 anos, é testemunha perseverante, insistente, despretensiosa e paciente da caminhada conjunta da Igreja e dos governos Federal, Estaduais e do Distrito Federal a serviço do bem comum, em particular dos mais excluídos ou em situação de risco social”, enfatizou.

MEBDomAugustoJá o presidente do Conselho Deliberativo do MEB, dom Augusto da Rocha, recordou a opção do Movimento pelas populações marginalizadas do Norte, Nordeste e Centro Oeste. Segundo o bispo, o MEB nasce acreditando que é possível banir o analfabetismo “percorrendo um caminho pedagógico libertador idealizado por Paulo Freire”. “Mas, acima de tudo, desejava-se um diferencial: um trabalho realizado com competência, ética e mística”, disse.

“Que possamos fortalecer este organismo que enaltece o país”, concluiu dom Augusto.

MEBJoaoEx-aluno do MEB, João Barbosa de Carvalho, do Distrito Federal, agradeceu, emocionado, a alfabetização que recebeu do Movimento. “Fiz parte deste projeto maravilhoso. Sinto-me honrado de estar aqui”, disse.

A alfabetizadora de Barbosa, Sônia Maria Gomes, também falou da alegria de ter participado do MEB. “É gratificante realizar o trabalho de alfabetização de adultos, atendendo as comunidades carentes”, conta Sônia. “Cada palavra aprendida, cada experiência trocada era parte de um sonho que se realizava”, completa. E fez um apelo  para que “movimentos como esse não deixem de existir”.

O secretário executivo do MEB, padre Virgílio Leite Uchôa, ressaltou o método do Movimento ao longo de seus 50 anos. “O nosso método de educação de base popular é inédito. Visa à educação libertadora com inclusão social”, explica. “As pessoas excluídas e não alfabetizadas, através de uma ação pedagógica, aprendem não apenas a ler e a escrever, mas a pensar a própria vida e a agir como atores sociais, capazes de sair de sua injusta situação na busca de autonomia pessoal e de suas comunidades”, acrescenta.

MEBPe.Virgilio“O MEB, ao sustentar sua ação nestes 50 anos, celebra, com alegria e sentimento de dever cumprido, sua contribuição na superação da miséria e da exclusão social mediante educação popular libertadora”, sublinhou padre Virgílio.

O bispo da prelazia de Tefé, no Amazonas, dom Sérgio Castriani, deu um testemunho exaltando a atuação do MEB na região onde é bispo. “O que temos na prelazia, em termos de organização comunitária e lideranças, começou com o MEB”, disse.

Durante a sessão, o poeta popular, Geraldo Tadeu, homenageou o MEB com uma música feita especialmente para a ocasião. Um coquetel, com direito a bolo lembrando os 50 anos do Movimento, encerrou a noite de homenagens.

Leia a íntegra do pronunciamento de Dom Geraldo Lyrio Rocha e do padre Virgílio Uchôa

Escreva um Comentário

Ver todos os Comentários

Seu endereço de email não será publicado. Também outros dados não serão compartilhados com a terceira pessoa. Campos obrigatórios marcados como * *

Share This