CPP comemora 50 anos de atuação e homenageia CNBB

Dom Valdeci entrega prêmio à Presidência da CNBB | Foto: divulgação

O Conselho Pastoral dos Pescadores (CPP) celebrou 50 anos de criação no último mês de maio, com a realização de um congresso, realizado entre os dias 21 e 23, em Belém (PR). Na última semana, o bispo de Brejo (MA), dom José Valdeci dos Santos Mendes, que preside o CPP e a Comissão Episcopal para Ação Social Transformadora da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), entregou ao presidente da CNBB, dom Walmor Oliveira Azevedo, o prêmio comemorativo frei Alfredo.

A premiação é um reconhecimento pelos “anos de parceria, dedicação, solidariedade e compromisso com a luta dos pescadores e pescadoras artesanais”. O prêmio recebe o nome do fundador do CPP, frei Alfredo Schnuttgen, apontado como inspiração por ter ido ao encontro dos homens e mulheres das águas, “descobrindo a realidade da vida deles e dessa forma se comprometendo pela defesa dos seus direitos, na construção do bem viver e na defesa da Casa Comum”.

O Congresso do CPP teve como tema “Celebrar a Resistencia e Profetizar a Esperança” e reuniu agentes de Pastoral do CPP, pescadoras e pescadores artesanais, pastorais sociais do campo e organizações parceiras nacionais e internacionais. Na oportunidade, houve “renovaram o compromisso profético com o projeto do Cristo Libertador e com as lutas dos pescadores e pescadoras” a partir da memória histórica, do olhar crítico sobre a realidade e apontamento de caminhos para testemunhar a “fidelidade ao Deus da vida e seu projeto de justiça”.

“Nossa história é atravessada pelos processos de colonização, pautados na máxima exploração da natureza e da vida humana, sobretudo dos povos originários e do povo negro. Nesse momento, navegamos em águas ainda mais turbulentas, onde o desmonte de todas as políticas ligadas às áreas mais essenciais à vida da população, aprofunda o processo de exploração, perseguição, criminalização e morte”, afirmam os participantes na carta divulgada após o congresso.

Sobre frei Alfredo, afirmam ter aprendido que é no ato da escuta e da vivência com os pescadores e pescadoras que o projeto evangélico de Jesus vai ganhando vida: “Reconhecemos a presença do Cristo na lida dos homens e mulheres das águas. Assumimos a tarefa profética de Celebrar a Memória das lutas e Profetizar a esperança na vida, cultivando a mística da presença no MEIO do povo”.

A pastoral foi fundada em 1969, em Olinda (PE), pelo Frei Alfredo Schnuettgen, tendo na época, o incentivo de dom Helder Câmara.

 

Foto de capa: Thomas Bauer
Share This