Dia Mundial do jogo limpo

Dom Roberto Francisco Ferreria Paz
Bispo  de Campos (RJ)

No dia 15 de junho de 1998 foi comemorado pela FIFA pela primeira e única vez o Dia Mundial do Jogo Limpo, “Fair Play”. A finalidade desta data seria evitar e superar a violência dos campos de futebol e a promoção do genuíno espírito esportivo de nobreza e lealdade. A não repetição deste evento apresenta a falta de vontade política e de intencionalidade de resgatar a ética e saudável competição no futebol.

Acontece que o jogo perdeu a inocência e a motivação puramente esportiva para ser um investimento  milionário em que todos querem tirar seu proveito. Desta maneira criou-se um futebol de resultados, o importante é ganhar a qualquer custo, e muitas vezes com a ajuda de uma arbitragem parcial e negligente. Certamente veremos em ocasião da abertura da Copa na Rússia, uma cerimônia esteticamente afinada e apelos para a Paz, a concórdia, e o respeito a diversidade das culturas e dos Povos, valores profundamente humanos que deveriam também perpassar todos os jogos do certame.

Será sempre importante recordar que o esporte e por isso o futebol, tem uma função simultaneamente recreativa e formativa, apresentando atletas que vencem a si próprios na dedicação, jogo colaborativo de equipe e a aplicação as regras da competição. Por outra parte pela parte dos organizadores e anfitriões espera-se a acolhida, o compartilhamento cultural, e a responsabilidade de fazer acontecer a Copa na segurança, respeito e harmonia cosmopolita própria da mundialidade do evento.

A alegria, esperança, e clima de festa da participação na Copa deve ser incentivo para levar esta mesma garra, entusiasmo, e unidade para a construção do jogo limpo nas eleições, na administração pública, nos negócios, terminando com o capitalismo de compadrio tantas vezes exercido por dirigentes da FIFA e políticos e empresários no Brasil.

Ser torcedor é partilhar do orgulho de ser brasileiro, de vibrar com a seleção e as jogadas bonitas e bem realizadas do nosso time, sem perder o auto  controle, ou cair na agressividade de quem pensa que pudesse ganhar de qualquer jeito, ameaçando ou intimidando os jogadores rivais, quebrando as regras de honra e disciplina que salvaguardam o espírito esportivo.

O esporte tem muito a ensinar para a vida, mas só se tornará um meio de melhoramento e elevação da humanidade, na gratuidade e consagração  a um jogo limpo, belo, criativo e emocionante, mostrando o empenho e a vontade de superação de cada jogador e do próprio time. Que Deus abençoe a todos os participantes da Copa, organizadores, jogadores, e torcedores, para que alcancem um dia a Copa da eternidade. Deus seja louvado!

Share This