Diálogo Católico-Pentecostal no Brasil

Para entender as dificuldades e também as oportunidades do diálogo católico-pentecostal no Brasil, faço um breve recuo no tempo. O cristianismo brasileiro tem uma

matriz ibérica, na sua maior parte, originária das missões portuguesas no chamado “novo mundo”. Era o período da Contra-Reforma e da implantação da catequese tridentina. No curso dos séculos, vieram ao Brasil os jesuítas, carmelitas, franciscanos e dominicanos. Contudo, por causa da imensidão do país e dos reveses políticos, a pregação e a catequese não tiveram uma história linear: foram interrompidas e adaptadas, deixando lacunas na evangelização do país. Havia muito catecismo e pouca Bíblia na mão do povo. Grande parte das comunidades sofria ausência do presbítero. A visão de Igreja era marcada pelo regime do Padroado: a Coroa Portuguesa e seus representantes no Brasil administravam o setor religioso e, inclusive, indicavam os Bispos para as dioceses da Colônia. As Ordens Terceiras carmelitanas e franciscanas disputavam prestígio e reconhecimento público, com sua devoção barroca, colorida e exuberante nos campos, vilas e cidades.

O tempo passou e veio o Concílio Vaticano II. A Igreja respirou ares novos, retornando às fontes genuínas da fé. Começou um grande movimento (ainda em curso) de aplicação do aggiornamento conciliar nas terras brasileiras. Emerge a Ação Católica, a Bíblia é amplamente divulgada, os leigos assumem postos de liderança, crescem as vocações autóctones, renovam-se a catequese e a liturgia, aprimora-se a formação do clero, estimula-se uma Igreja toda missionária e ministerial.

Contudo, a cada ano que passa, temos uma geração cada vez mais distante do Concílio Vaticano II. A essa distância se acrescentam a desagregação da família, o aumento da violência urbana e o subjetivismo exacerbado no campo religioso. Resultado: a recepção do Vaticano II no Brasil ainda não se concluiu e já vivemos cenários novos e desafiantes!

Confira o documento na integra.

Escreva um Comentário

Ver todos os Comentários

Seu endereço de email não será publicado. Também outros dados não serão compartilhados com a terceira pessoa. Campos obrigatórios marcados como * *

Share This