Diocese de Volta Redonda faz abertura da Campanha da Fraternidade Ecumênica

A Campanha da Fraternidade 2010, “Economia e Vida”, foi aberta na diocese de Volta Redonda (RJ), com uma coletiva de imprensa, reunindo as Igrejas Cristãs que fazem parte do Conselho Nacional de Igrejas Cristãs (Conic). O bispo diocesano, dom João Maria Messi, falou dos objetivos e o que espera desta campanha que é a terceira ecumênica. “Um das metas da campanha é colaborar na promoção humana de uma economia a serviço da vida, fundamentada no ideal da cultura da paz. Queremos que haja justiça social, consciência ambiental, sustentabilidade, empenho na superação da miséria e da fome”, disse o bispo à imprensa.

O presbítero Luiz Eduardo, da Igreja Presbiteriana de Volta Redonda destacou a relação das Igrejas na promoção de uma consciência ecumênica e ambiental. “É mais uma oportunidade de unirmos nossas forças para superar a violência e trabalhar pela construção do reino de Deus e de uma vida digna”, ressaltou.

Padre Vicente da Silva, da Igreja Ortodoxa Siriana do Brasil lembrou do sofrimento das famílias desamparadas do bairro Paraíso de Cima, em Barra Mansa, que de acordo com ele estão esquecidas e sendo manobradas pelos políticos. “Economia e Vida é um assunto de extrema importância e necessidade para nós que agimos em nome de Cristo. Infelizmente as obras de construção das casas ficaram apenas na promessa e a expectativa dos pobres é de que comecem este ano, isto porque é um ano eleitoral. Como cristãos não podemos aceitar esta situação de braços cruzados”, questionou padre Vicente, elogiando dom João pela solidariedade aos sem teto do Paraíso de Cima.

Padre Anacleto da Igreja Ortodoxa Siriana do Brasil agradeceu o convite de participar da abertura e comparou a relação da administração do dinheiro dos ricos com os pobres. “Economia é administrar bem a casa. Isto os pobres sabem fazer porque não tem muito do que administrar, ou seja: partilham com justiça o pouco que tem para a sobrevivência. Não precisamos temer porque Jesus disse: `Eu te louvo o Pai porque escondestes a verdade aos sábios e revelastes aos pequenos´. Essa frase nos ajuda a entendermos e a confirmar a preferência de Deus aos sofredores”, destacou padre Anacleto.

A Campanha da Fraternidade deve ser trabalhada em quatro níveis: social, eclesial, comunitário e pessoal.
Dia 28 de março, Domingo de Ramos, será realizada a Coleta Nacional da Solidariedade em todas as comunidades da diocese e do país.

Escreva um Comentário

Ver todos os Comentários

Seu endereço de email não será publicado. Também outros dados não serão compartilhados com a terceira pessoa. Campos obrigatórios marcados como * *

Share This