Educar para a fé na família

Dom Adelar Baruffi
Bispo de Cruz Alta

 

“A família, como vai?” Com esta pergunta, a Semana Nacional da Família deste ano, nos dias 11 a 17 de agosto, quer indicar a necessidade da família buscar caminhos para educar-se para o seguimento de Jesus, com sua Palavra e a caridade. Cremos que a família é um lugar especial, insubstituível, para viver a iniciação à vida cristã integrada com toda a formação humana e profissional. Continuamos a apostar neste caminho para vencer os desafios e dificuldades que encontramos na sociedade hoje, sobretudo o crescente secularismo. A família tem sua missão na formação de pessoas humanas e seu papel evangelizador na Igreja e na sociedade. No processo educativo, o lar é o lugar essencial para ser amado e aprender a amar; lugar de relações fraternas, de aprender a olhar o outro e ver nele um irmão, imagem de Deus; lugar para aprender a solidariedade e a caridade; lugar de perdão e reconciliação permanentes. Se faltar esta base humana essencial, será mais difícil para a pessoa ter uma vida saudável e feliz.

Além deste fundamento humano, pede-se da família a educação para a vivência da fé cristã. O modo de vida do casal reflete sua espiritualidade e será o principal incentivo para a formação cristã dos filhos. A iniciação à vida cristã começa no seio da família, pois é nela que devemos, por primeiro, conhecer os fundamentos da fé. Não se trata em primeiro lugar de saber coisas, doutrinas, mas de aprender um jeito cristão de viver, de se relacionar. O próprio casal vai aprendendo a ler a vida sob a ótica da fé e, constantemente, dirigir-se a Ele, pois a graça recebida um dia no matrimônio é para toda a vida. Assim, supera-se a compreensão da religião como algo separado da vida, como um momento da semana ou a instância que se recorda quando acontece algo errado na vida.

A formação cristã na família precisa da Palavra de Deus cotidiana. Cada dia, Deus nos dá um presente, ele nos visita com um texto de sua Palavra. Importante iniciar a jornada com esta “refeição espiritual”. Ela será uma luz para todo o dia. Depois, o momento da oração pessoal, no local mais apropriado da casa, no “cantinho de Deus”. Sua família já construiu este pequeno santuário doméstico, com os símbolos católicos: a cruz de Cristo, a Palavra de Deus, imagem da Virgem Maria, água benta e uma foto da família?

Ainda, pela fé se forma uma base de personalidade para saber lidar com as frustrações, crises e perdas. A vida familiar é local de, além de muitas alegrias, também de perdas, doenças e até de violência. Em sua carta Amoris Laetitia, o Papa Francisco recordou-nos as características da caridade para a vida familiar, segundo o ensinamento de São Paulo, no hino ao amor (cf. 1Cor 13,4-7): a paciência, o serviço, curar a inveja, a amabilidade, o desprendimento, vencer a violência interior, o perdão, alegrar-se com os outros, saber desculpar, confiar, esperar e tudo suportar. Suportar as contrariedades, mantendo-se firme numa resistência dinâmica. Suportar os desafios, fortalecendo o amor que apesar de tudo nunca desiste. Na educação da fé familiar se aprende que as dificuldades precisam ser assumidas e superadas e ninguém é descartável: nem um cônjuge, nem os filhos, nem a criança que ainda não nasceu, nem um doente, nem um idoso, pois todos trazem em si a imagem de Deus.

Parabéns e muitas bênçãos de Deus a todos os pais pela passagem do seu dia.

 

Artigos similares

Share This