Diocese de Joinville conclui fase do processo de beatificação do padre Aloísio Boeing

Foi encerrada esta semana, no dia 17, a etapa diocesana de beatificação do padre Aloísio Sebastião Boeing, o primeiro candidato a santo da diocese de Joinville (SC). Toda a pesquisa levantada na diocese será levada a Roma pelo representante da causa, o postulador Paolo Vilotta, para análise.

Segundo Vilotta, a fase diocesana consiste em uma pesquisa da vida, virtudes e fama de santidade. “O trabalho é divido entre o tribunal e pesquisa histórica”, explica. Os representantes do tribunal, escolhidos pelo bispo diocesano, ficam responsáveis por fazer entrevistas e resgatar testemunhos de pessoas que conheceram o candidato a beato. Já a comissão histórica faz uma pesquisa de toda a sua documentação. “Eles resgatam a documentação dos pais até o último artigo publicado no jornal”, comentou o postulador.

Para a realização da fase romana, tudo o que foi recolhido será entregue na congregação para as Causas dos Santos, em Roma. Em seguida é pedido pelo postulador a abertura do processo de beatificação e canonização. Segundo o vice- postulador, padre Léo Heck, é preciso elaborar também o “Positio”, um resumo que leva em consideração todo o trabalho efetuado durante a primeira etapa. “Tudo é feito conforme uma rigorosa metodologia e será levada em consideração no exame dos teólogos e, depois, dos cardeais e bispos”, destaca.

A fase romana termina com o reconhecimento da existência das virtudes heroicas do padre Aloísio, que passa a ser chamado de venerável. De acordo com Vilotta, a próxima fase seria a comprovação de um milagre do padre, que o levaria a ser beatificado. Quando isso acontecer, será necessário abrir um novo processo. “Mas essa fase romana pode levar mais de seis anos”, comenta.

História

Padre Aloísio Boeing nasceu em Vargem do Cedro, uma vila localizada em São Martinho (SC), onde cresceu em uma família cristã e viveu uma infância na simplicidade. Aos 12 anos, deixou a sua família para viver a vocação sacerdotal.

Em 1974, fundou a Fraternidade Mariana do Coração de Jesus, em Jaraguá do Sul (SC) e durante 24 anos foi mestre de noviços na cidade. Padre Aloísio viveu até os 92 anos.

Padre Aloísio, um sacerdote da Congregação dos Padres do Sagrado Coração de Jesus (Dehonianos) viveu na mesma época e na mesma vila que a beata Albertina Berkenbrock. Ambos tiveram berço e formação semelhantes: mesmos professores, educadores, catequistas e pároco.

Roteiro de turismo religioso

Desde o dia 21 de fevereiro deste ano, a Rota Padre Aloísio passou a integrar o roteiro religioso do Estado de Santa Catarina. Estará no roteiro o Noviciado Nossa Senhora de Fátima de Jaraguá do Sul (SC), Nereu Ramos e o Seminário SCJ de Corupá (SC), lugares nos quais o padre estudou e trabalhou.

Com informações da diocese de Joinville

 

Escreva um Comentário

Ver todos os Comentários

Seu endereço de email não será publicado. Também outros dados não serão compartilhados com a terceira pessoa. Campos obrigatórios marcados como * *

Share This