Faleceu dom Antônio Agostinho, emérito de Presidente Prudente (SP)

Faleceu na manhã deste domingo, 28 de janeiro de 2018, às 10h07 o bispo emérito de Presidente Prudente – SP, dom Antônio Agostinho Marochi, aos 92 anos. É com pesar que a Diocese comunica o seu falecimento. Seu corpo será velado, neste domingo, na Catedral de São Sebastião, a partir das 16h15.

O sepultamento será na cripta da Catedral, nesta segunda feira, amanhã, 29 de janeiro, após a Missa de despedida, às 15h00, presidida por Dom Benedito Gonçalves dos Santos, bispo de Presidente Prudente, concelebrada por Bispos e sacerdotes presentes.

Dom Benedito pede a todos que, assim como a vida de Dom Agostinho foi toda na simplicidade, que ao invés de enviarem coroas de flores, façam oferta aos pobres, aos quais tivera tanto apreço.

Conheça um pouco de sua trajetória.

Filho de Francisco Marochi e Judith Viesser Marochi, Dom Antônio Agostinho Marochi, 3º Bispo Diocesano da Diocese de Presidente Prudente-SP nasceu aos 28 de agosto de 1925, na Colônia Italiana denominada Antônio Rebouças, no Município de Campo Largo-PR. Ingressou no Seminário São José, em Curitiba, no ano de 1939, onde, completou seus estudos de Ensino Fundamental e Ensino Médio.

Em 1947, foi concluir seus estudos superiores de filosofia em São Leopoldo-RS e, posteriormente, em São Paulo, no Seminário Central do Ipiranga concluiu os estudos de teologia. Recebeu a Ordenação Presbiteral no dia 06 de dezembro de 1953. Foi padre na Arquidiocese de Curitiba, Diretor das Obras das Vocações Sacerdotais, Membro do Conselho de Presbíteros, Professor no Colégio Sion, Vigário Professor do Colégio Militar de Curitiba, Diretor de Diversas Obras Sociais, Coordenador Pastoral, Coordenador do Clero, Presidente da Associação Nossa Senhora de Fátima.

Foi ordenado Bispo na Catedral Metropolitana de Curitiba aos 06 de dezembro de 1973 e designado Bispo Auxiliar do Arcebispado de Londrina. Em Londrina exerceu as funções de Encarregado da Linha 06 no Regional Sul II e Secretário da Província Eclesiástica de Londrina. Em 02 de fevereiro de 1976, foi nomeado Bispo Diocesano de Presidente Prudente, tomando posse aos 02 de abril de 1976. Seu Mandato Episcopal foi o mais longo entre todos, até os dias atuais, se tornando Bispo Emérito em 07 de abril de 2002.

Horários das Missas de exéquias na Catedral de São Sebastião:

– Domingo, dia 28: às 17h00 e 19h00
– Segunda feira, dia 29: às 6h00, 9h00, às 12h00 e às 15h00
– a seguir o sepultamento na cripta da Catedral de São Sebastião

(Texto do Regional Sul 1 da CNBB e foto: http://altinocorreia.blogspot.com.br/)

Dom Leonardo Steiner, secretário-geral da CNBB, assina Nota de Pesar dirigida ao bispo de Presidente Prudente, dom Benedito Gonçalves dos Santos em nome da Conferência.

Leia a Nota.

Nota de Condolências da CNBB pelo falecimento de dom Antônio Agostinho Marochi

 

Brasília, 28 de janeiro de 2018

 

Prezado Irmão, dom Benedito Gonçalves dos Santos.

A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) recebeu com pesar a notícia do falecimento de dom Antônio Agostinho Marochi, bispo emérito de Presidente Prudente (SP), ocorrido na manhã deste domingo, 28 de janeiro.

Em nome de nossa Conferência, enviamos nosso abraço solidário e de consolo fraterno ao senhor, aos familiares de dom Agostinho e as comunidades da Diocese.

Renovando nossa esperança na Ressurreição, recordamos as palavras de Jesus: “Eu sou a ressurreição e a vida. Quem crê em mim, ainda que tenha morrido, viverá. E todo aquele que vive e crê em mim, não morrerá jamais” (Jo 11, 25-26).

Dom Agostinho escolheu para o seu ministério episcopal um lema forte e significativo: “Evangelizare Divitias Christi” (Proclamar as riquezas de Cristo). Lema que nos faz lembrar as palavras também fortes e inspiradoras do Papa Francisco registradas na Exortação Evangelii Gaudium: “É o Espírito Santo, enviado pelo Pai e o Filho, que transforma os nossos corações e nos torna capazes de entrar na comunhão perfeita da Santíssima Trindade, onde tudo encontra a sua unidade. O Espírito Santo constrói a comunhão e a harmonia do povo de Deus. Ele mesmo é a harmonia, tal como é o vínculo de amor entre o Pai e o Filho. É Ele que suscita uma abundante e diversificada riqueza de dons e, ao mesmo tempo, constrói uma unidade que nunca é uniformidade, mas multiforme harmonia que atrai. A evangelização reconhece com alegria estas múltiplas riquezas que o Espírito gera na Igreja”.

Como o senhor disse na recomendação que fez aos amigos por ocasião do velório do bispo falecido, que a vida de dom Agostinho – que foi toda vivida na simplicidade – nos inspire sempre na missão que todos nós realizamos na Igreja.

Em Cristo,

 

Dom Leonardo Ulrich Steiner
Bispo auxiliar de Brasília
Secretário-Geral da CNBB

 

 

Share This