Formação para agentes do ecumenismo em Niterói

Com a temática dos 500 anos da Reforma dia 21 de outubro aconteceu o II Encontro Ecumênico do Leste 1, em Niterói (RJ), no Seminário São José.

O presidente da Comissão Episcopal Pastoral para o Ecumenismo e o diálogo inter-religioso, dom Francisco Biasin explicitou ao grupo o que significa comemorar a reforma: “fazer a memória juntos”. O religioso partilhou sua experiência de participação no Simpósio Ecumênico Mariológico, em Curitiba, as perspectivas desta comemoração e alguns aspectos da vida de Lutero e seus tratados teológicos.

“Após 500 anos da Reforma, o que Lutero tem a nos dizer, hoje?” foi a pergunta motora da exposição de Dom Biasin. Traço importante da exposição foi o acento de que a “existência cristã” foi sempre o tema central do pensamento de Martin Lutero. Existência cristã excêntrica. Existimos autenticamente fora de nós: Para Deus e para o próximo.

Padre Marcus Barbosa, assessor da Comissão da CNBB para o Ecumenismo e Diálogo Inter-religioso, apresentou pontos centrais do documento “Do conflito à comunhão. Comemoração conjunta Católico-Luterana da Reforma em 2017” ressaltando no conjunto da exposição que a unidade dos cristãos é uma das coisas mais importantes para o futuro da humanidade. “Num mundo marcado pelo imediatismo, eficácia, consumo, intolerâncias, necessitamos dar como Igrejas um testemunho público do Deus da misericórdia, justiça e compaixão”, disse.

Os participantes leram os cinco imperativos ecumênicos apresentados no último capítulo do documento e levantaram pistas de ação para serem realizadas em suas realidades comunitárias. Num clima de fraternidade, oração e partilha, contamos ainda com a grata presença do arcebispo de Niterói, dom José Francisco Rezende Dias.

Por Celma Rodrigues Silveira Oliveira

Share This