Homenagem aos Jesuítas e às Irmãs Franciscanas

Dom Canísio Klaus

No dia 21 de novembro, quando a comunidade da Catedral conclui as comemorações dos 150 anos de paróquia, a Igreja de Santa Cruz vai prestar uma homenagem especial aos Padres Jesuítas e às Irmãs Franciscanas da Penitência e Caridade Cristã.

Os padres jesuítas chegaram a estas terras em 1859, com o intuito de atender a florescente população da Colônia de Santa Cruz, que se erguera em terras devolutas do município de Rio Pardo. Durante 100 anos eles presidiram a Paróquia São João Batista. Em 1925 deram início às obras da nova Igreja, posteriormente transformada em Catedral. No dizer do Pe. Ignácio Schmitz, “ela deveria ser imponente porque seria a Catedral da nova Diocese”. Além de se empenhar nas obras de construção da Catedral, os padres jesuítas marcaram a vida religiosa local com a Congregação Mariana, a Ação Católica, o Apostolado da Oração, a Cruzada Eucarística, os retiros espirituais e os longos sermões nas missas dominicais. A vida social ficou marcada com a criação do Círculo Operário, a fundação da Aliança Católica e criação de associações do tipo Bauernverein (liga dos agricultores) e Volksverein (Sociedade União Popular). Dessas associações resultou a Caixa Rural, que financiou a capitalização de muitos agricultores. Também foram os padres jesuítas que prepararam o terreno para a instalação do Colégio Sagrado Coração de Jesus, Hospital Santa Cruz e Colégio São Luís. A última grande obra deixada pelos jesuítas foi a Casa de Retiros Loyola, inaugurada no início da década de 1960, quando os padres jesuítas já tinham entregue a paróquia da Catedral aos cuidados dos padres diocesanos.

As irmãs franciscanas foram acolhidas em Santa Cruz do Sul no dia 1° de agosto de 1874. Vieram com a missão específica de fornecer instrução e educação para as meninas, principalmente as de origem alemã, já que havia sido esta a razão da chegada da Congregação ao Brasil. Por causa disso, sua primeira obra foi o Colégio Sagrado Coração de Jesus, onde funcionou o internato ao mesmo tempo em que eram acolhidos alunos (principalmente meninas) que queriam estudar. O destaque ficou por conta do Curso do Magistério, no qual se formaram muitas das professoras que hoje estão atuando nas escolas da região.

Além da educação, as irmãs deixaram marcas na saúde local através da sua atuação no Hospital Santa Cruz. Num tempo em que os profissionais da área da saúde eram poucos e os recursos eram escassos, as irmãs começaram sua atuação com a prescrição de chás e remédios homeopáticos. Na direção do Hospital Santa Cruz se empenharam em atender a todas as pessoas, tendo atenção especial aos mais pobres. Sua presença simples e humilde nos corredores do Hospital marcou muitas pessoas que para lá acorriam em momentos de doença. Grande parte da população de Santa Cruz nasceu pelas mãos das Irmãs Franciscanas da Penitência e Caridade Cristã. Obrigado pelos 131 anos de presença, serviço e testemunho das irmãs franciscanas em nosso meio.

É esta presença amorosa e dedicada, tanto dos Padres Jesuítas quanto das Irmãs Franciscanas, que nós queremos celebrar na noite do domingo, dia 21 de novembro. A Diocese de Santa Cruz do Sul se une ao povo da Paróquia São João Batista para renovar seus sinceros agradecimentos a estas duas congregações que tanto contribuíram na evangelização do povo de Santa Cruz. Sem sua presença, a Igreja em Santa Cruz certamente não seria o que ela é hoje. Obrigado e que Deus abençoe sua missão.

Escreva um Comentário

Ver todos os Comentários

Seu endereço de email não será publicado. Também outros dados não serão compartilhados com a terceira pessoa. Campos obrigatórios marcados como * *

Share This