Maranhão realizou Simpósio Regional de Missiologia

O Regional Nordeste 5 realizou nos dias 31 de agosto a 2 de setembro o seu 1º Simpósio Regional de Missiologia, na diocese de Bacabal, com o tema: “Missionariedade da Igreja no Maranhão” e lema: “Enviou os seus discípulos para onde Ele mesmo deveria ir” (cf. lc 10,1). A proposta do Simpósio fez parte do plano de pastoral do regional e contou com a assessoria do Monsenhor Raimundo Possidônio da Mata, da Arquidiocese de Belém – PA e do Pe. Mário França de Miranda, SJ, da PUC do Rio de Janeiro.

O encontro teve a presença de 450 delegados representando as 12 dioceses do Maranhão. Em preparação a esse Simpósio, cada diocese vem realizando um seminário sobre a missionariedade em sua diocese, retomando também pontos da história da ação missionária da Igreja no Regional Nordeste 5 e destacando desafios e luzes a fim de que possa-se ajudar no fortalecimento como Igreja em estado permanente de missão, Igreja em saída, um constante no pontificado do Papa Francisco.  

Segundo Pe. Maurício Jardim, Diretor Nacional das POM, o simpósio colaborou para ampliar a prática da missão. “A metodologia e o conteúdo do simpósio favoreceram para dar fundamentação e indicações para Igreja do Maranhão ampliar em medida maior a compreensão da missão, bem como alargar práticas missionárias”, destacou o diretor.

Matias Ramos, coordenador do Conselho Missionário Regional (COMIRE), manifestou que é necessário uma tomada maior de consciência do serviço e atuação missionária. “Os conteúdos trabalhados no Simpósio são de fundamental importância para fortalecer as estruturas e organizações missionárias, continuando a partir de Jesus um caminho de sinodalidade e comunhão”, ressaltou Matias.

Dom Esmeraldo Farias, presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Ação Missionária e Cooperação Intereclesial da CNBB, destaca que o simpósio sobre a missionariedade da Igreja no Maranhão foi uma experiência muito significativa reunindo os representantes das doze dioceses, incluindo a participação de 09 bispos. “Creio que as indicações feitas pelos participantes em vista da vivência missionária destacam a importância de compreendermos a missão em relação com a graça da edificação do Reino de Deus que diz respeito a cada cristão que é chamado a ser seguidor de Cristo, missionário em seu ambiente familiar, de residência, estudo, trabalho, lazer e em setores como a política, comunicação, formação de opinião, etc. Essa visão nos compromete a um trabalho ainda maior a fim de ajudarmos as pessoas, em especial, os cristãos leigos e leigos, a descobrirem esse grande chamado e a assumirem-no como convicção de fé. Então, a missão não pode ser compreendida e vivenciada somente enquanto a pessoa está ligada a um grupo institucionalizado com sua identificação através de um nome, símbolos (roupas, cruzes) e determinadas práticas missionárias. Agradecemos muito a Deus pela participação de cada pessoa e também pela acolhida tão fraterna e generosa da diocese de Bacabal que nos acolheu nas casas das famílias e cedeu todo o espaço da Paróquia de Sant’Ana e São Joaquim, na cidade de Bacabal”, finalizou Dom Esmeraldo.

Com informações das Pontifícias Obras Missionárias

Share This