Menção de Congratulação: centenário da Imigração Japonesa

A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) congratula-se com a Panib (Pastoral Nipo-brasileira) pela passagem do Centenário da Imigração Japonesa no Brasil, que ocorrerá dia 18 de junho próximo.

Nesta data, há cem anos, a primeira leva de japoneses, – 168 famílias e 779 pessoas -, aportou em Santos (SP), no Kasato-Maru, navio de guerra adaptado para o transporte de passageiros. Do porto de Santos, foram levados para o centro de triagem na capital paulista e, daí, encaminhados, sobretudo, para fazendas de café, no interior do Estado.

Hoje, os vindos do Japão, ditos primeira geração ou ‘issei’, os de segunda geração, ‘nissei’, e os de terceira geração, ‘sansei’, somam aproximadamente 1,3 milhão de pessoas. O maior contingente, desde há três anos, passou a ser o dos ‘sansei’. Muito cedo, em nosso país, os japoneses galgaram notáveis postos na agricultura e economia em geral, na ciência, na política, no esporte, na arte e outros campos.

Mas, ao atravessar os oceanos e mares, essa gente não trouxe na bagagem somente seus sonhos e expectativas, sua cultura milenar, tradições longevas, costumes profundamente arraigados e valores próprios. Entre os imigrantes, muitos já vinham assinalados pela fé cristã-católica que, quinze séculos depois de Jesus dizer “Ide e evangelizai…” (Mt. 28,19) chegou também ao Japão. O primeiro operário dessa messe foi ninguém menos que São Francisco Xavier, seguido, depois, por outros missionários.

Aqui, então, começa a história da Panib com quem hoje nos congratulamos. Pessoas bondosas se compadeceram das famílias japonesas que, marcadas pela fé católica, como dito, encontravam enormes dificuldades para se integrar na Igreja do Brasil devido, sobretudo, à diferença de língua. Os primeiros cuidados da Igreja para com os japoneses se deram já em 1916 com o missionário redentorista Padre Lourenço Hubfoner e, na década de 20, com o Pe. Guido Del Toro, SJ.  Em 1923, chegou do Japão, o Pe. Domingos Chohati Nakamura, apóstolo dos japoneses em nossa terra, do qual, na Diocese de Presidente Prudente, instalou-se e tramita processo de beatificação. Em 1967 foi criada a Panib – Pastoral Nipo-brasileira, com sua sede nacional na cidade de São Paulo, sua diretoria, estatuto e programação anual. Aí um significativo número de missionários franciscanos, Jesuitas, verbitas, diocesanos e outras congregações masculinas e femininas chegaram para somar com a Panib no trabalho de evangelização dos japoneses. Papel importante nesta história teve o Colégio São Francisco Xavier, fundado no bairro do Ipiranga, na capital de São Paulo, para atender a juventude japonesa. Muito significativa foi também a criação e atuação do movimento de jovens “Círculo Católico Estrela da Manhã”, que se espalhou por todos os lugares do país onde os japoneses se instalaram. Todos os missionários muito se dedicaram para atender as necessidades dos imigrantes. Para tanto, fundaram institutos de formação de catequistas e construiram escolas, creches, hospitais, asilos e igrejas.

A CNBB, agradece à Panib todo o trabalho prestado à Evangelização dos japoneses  e se congratula com sua diretoria e todos os seus membros pela passagem do Centenário. Que o Deus das luzes ilumine os passos e anime a Panib a caminhar para maiores realizações ainda no serviço ao Reino de Deus, no segundo centenário que em breve se iniciará.

Pedimos também, ao bom Pai de toda a humanidade, que permita ao povo japonês, lá do Japão, acelerar a experiência do encontro com seu Filho Jesus especialmente através da presença irradiante dos dekasseguis, já tão numerosos, em várias cidades daquele país. A Mãe da Igreja e Auxílio dos Cristãos os inspire e proteja hoje e sempre!

Dom Geraldo Lyrio Rocha
Arcebispo de Mariana
Presidente da CNBB

Dom Luiz Soares Vieira
Arcebispo de Manaus
Vice-Presidente da CNBB

Dom Dimas Lara Barbosa
Bispo Auxiliar do Rio de Janeiro
Secretário-Geral da CNBB

Escreva um Comentário

Ver todos os Comentários

Seu endereço de email não será publicado. Também outros dados não serão compartilhados com a terceira pessoa. Campos obrigatórios marcados como * *

Share This