Mensagem do XX Encontro dos padres, bispos e diáconos negros

Reunidos no Santuário Nacional de Aparecida, casa da Negra Mariama nós, bispos, padres e diáconos negros vivemos momentos de partilha da vida, alegria, e solidariedade ministerial, muito comum na tradição afro-brasileira. O tema Negra Mariama chama para celebrar os vinte anos do IMA e o lema Solidariedade e Compromisso nortearam as reflexões do XX encontro. Contamos com a presença solidária e amiga de Dom João Alves dos Santos, bispo referencial da pastoral afro-brasileira, Dom Antonio Wagner, Dom Gilio Felício, Dom Zanoni Dementino de Castro, Dom José Maria Pires, Dom João Maria Messi e Dom Sergio Krzywy.

O ano 2008 é repleto de datas significativas. Celebramos os vinte anos de caminhada do Instituto Mariama, os vinte anos da Campanha da Fraternidade que enfocou o tema do povo negro, o inicio das comemorações pelos cem anos de nascimento de Dom Helder Câmara e assinalamos os cento e vinte anos da abolição da escravatura.

Refletindo sobre os Ecos da Conferência de Aparecida para os presbíteros negros estamos em comunhão com toda a Igreja no compromisso com a evangelização sob o critério de que começa a partir de Jesus. Na caminhada de discípulos missionários lembremos que as respostas aos desafios da Igreja passam pelo compromisso efetivo de ajudar as pessoas a terem um encontro pessoal com Jesus. Neste encontro, considerar a historia, a vida humana e a realidade são princípios relevantes, especialmente no que diz respeito à comunidade negra ainda marcada pela pobreza e exclusão.

Tivemos a graça de participar de um retiro orientado por Dom José Maria Pires, arcebispo emérito de João Pessoa – PB. A experiência do retiro trouxe para nós a convicção de que a criação merece do ser humano o louvor e o compromisso com o cuidado do que é fruto do amor de Deus. O cuidado diz da superação do pecado que é a desordem da criação. O louvor a Deus abarca toda a criação, é também a característica fundante da liturgia e da oração do presbítero negro, pois é aí que nos reconhecemos como Igreja. O presbítero negro é convidado a ser o servidor da humanidade, a fazer a experiência da verdadeira fraternidade e a contemplar a obra salvadora de Deus. Neste propósito vive a plenitude da tradição afro. A vocação do padre negro é compromisso de fé, é fidelidade à caminhada dos negros e negras que habitam este chão.

Manifestamos nossa preocupação com a formação presbiteral, sobretudo com a promoção vocacional e a orientação nos seminários e casas de formação. Ainda não contemplam os anseios do grande contingente de jovens negros que poderiam ingressar nos seminários para o processo de discernimento da vocação ao ministério presbiteral.

Renovamos os nossos votos de compromisso com a Igreja que, iluminada pelo Documento de Aparecida e pelas Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora, busca viver o compromisso de discípula missionária de Jesus Cristo. Como bispos, padres e diáconos negros nos alegramos e louvamos a Deus por este caminhar que aprofunda o compromisso com o Reino de Deus.

Escreva um Comentário

Ver todos os Comentários

Seu endereço de email não será publicado. Também outros dados não serão compartilhados com a terceira pessoa. Campos obrigatórios marcados como * *

Share This