Mensagem para a celebração da Consciência Negra

A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil – CNBB, no seguimento a Jesus Cristo e no cumprimento de sua opção preferencial pelos pobres, reconhece e valoriza a diversidade cultural africana como fator de enriquecimento da tradição cristã na América latina e no Caribe. Através da Pastoral Afro-brasileira, a Igreja promove a vivência do diálogo com as diversas formas de religiosidade, objetivando a realização do projeto de Jesus Cristo: uma família humana da qual Deus é o único Pai. Este é o caminho para a paz entre os povos e as nações.

O ano de 2011 assinala, certamente de forma positiva, a missão dos afro-brasileiros na busca da igualdade racial. A Organização das Nações Unidas – ONU, o declarou como ano internacional do afro-descendente; a Unesco, órgão da ONU para a infância e adolescência o declarou como ano para a superação do racismo na  infância e adolescência. São noticias alvissareiras que compreendemos como consequência da perseverança da população negra em buscar os seus direitos.

Celebremos com alegria esse tempo de manifestações em torno do dia 20 de novembro, dia da consciência negra, data em que se faz memória de Zumbi dos Palmares, símbolo da resistência contra a escravidão. Os afro-descendentes, segundo dados do último censo, constituem a metade da população brasileira. Dos 16 milhões de brasileiros que vivem em situação de miséria, 70% são negros. A Igreja, como advogada dos pobres, se solidariza com esses nossos irmãos e irmãs.

Roguemos que Nossa Senhora Aparecida, modelo de discipulado, proteja a todos com seu manto materno.

Dom Leonardo Ulrich Steiner
Bispo Auxiliar de Brasília
Secretário Geral da CNBB

Escreva um Comentário

Ver todos os Comentários

Seu endereço de email não será publicado. Também outros dados não serão compartilhados com a terceira pessoa. Campos obrigatórios marcados como * *

Share This