Mês da Consciência Negra [1]

O que significa ter Consciência Negra no Brasil?

Consciencia Negra

Ter Consciência Negra é compreender que a intenção do projeto de colonização do Brasil pelos brancos portugueses era lucrar com o tráfico e venda de escravos, lucrar com a produção de açúcar, de café, de algodão, de pedras preciosas e, além disso, impor a cultura branca, que eles imaginavam ser superior, aos negros e povos indígenas.

É saber que os trezentos e cinqüenta anos de escravidão portuguesa tiveram como resultado: cinco milhões de africanos seqüestrados durante o período da colonização; o Brasil foi o penúltimo País a abolir o tráfico de escravos, em 1850 e o último a abolir oficialmente a escravidão, em 1888.

Que a escravidão praticada pelos brancos portugueses era violenta. Portanto, não podemos esquecer as torturas e maus-tratos contra os nossos descendentes; as longas jornadas de trabalhos, a má alimentação e a vida miserável nas senzalas; e que aos negros escravizados não era permitido constituir famílias e nem praticar as suas religiosidades trazidas da África.

Que é uma grandiosa mentira quando eles dizem que os nossos antepassados aceitaram tudo isso de forma passiva. Os negros na história da escravidão do Brasil reagiram individual e coletivamente. Fugiram das fazendas escravistas, organizaram rebeliões, revoltas e Quilombos. Por isso Zumbi até hoje é lembrado no dia 20 de novembro! O Quilombo de Palmares resistiu por mais de cem anos a mais de vinte e cinco expedições armadas, e muitos outros Quilombos se espalharam pelo País: e isso é uma das provas de que o nosso povo reagiu.

Que os descendentes de Zumbi hoje continuam a sua luta. Continuam porque a escravidão acabou, mas os brancos inventaram o racismo como uma nova forma de escravizar os negros. E o que é o racismo? O racismo é uma idéia monstruosa construída para justificar que o negro não possui capacidade para governar e nem para assumir um alto cargo público; que as profissões apropriadas para os negros são aquelas recusadas pelos brancos, como as de empregados domésticos e garis, entre outras; que nos locais freqüentados pelos brancos o negro não é bem-vindo; que as culturas dos negros, como a Capoeira e o Candomblé, são primitivas e selvagens.

Ter Consciência Negra é uma atitude e um compromisso com o nosso povo e com cada um de nós. Não podemos aceitar o que dizem o que falam e as condições humilhantes que nos querem impor.

Ter Consciência Negra é cobrar dos governantes e da sociedade brasileira tudo o que nos é devido.

Ter Consciência Negra é olhar no espelho e apreciar a nossa beleza; é gostar da cor da nossa pele, do formato do nosso nariz e da textura do nosso cabelo; é valorizar a nossa música, a nossa maneira de dançar e todas as artes que criamos; é reconhecer que as religiões de matrizes africanas permaneceram até hoje porque elas preservaram o espírito comunitário e familiar de organização.

Ter Consciência Negra é saber que Zumbi é o nosso maior herói!

VIVA ZUMBI! 20 DE NOVEMBRO, DIA NACIONAL DA CONSCIÊNCIA NEGRA!

[1] Autoria: Fr. Márcio Benevides, CSJ, membro do GRENI (Grupo de Religiosos Negros e Indígenas).

Escreva um Comentário

Ver todos os Comentários

Seu endereço de email não será publicado. Também outros dados não serão compartilhados com a terceira pessoa. Campos obrigatórios marcados como * *

Share This