Morre o arcebispo emérito de Juiz de Fora (MG)

Dom Clóvis Frainer tinha 86 anos e morava em Caxias do Sul (RS)

Faleceu na tarde desta terça-feira, 04 de abril, o arcebispo emérito de Juiz de Fora (MG), dom Clóvis Frainer. Segundo informações da Província dos Capuchinhos do Rio Grande do Sul, o bispo faleceu em consequência de complicações pulmonares e falência de outros órgãos.

Em nota, divulgada no site da arquidiocese, o atual arcebispo de Juiz de Fora, dom Gil Antônio Moreira, expressou que a Igreja Particular “deve muitos obséquios a este extraordinário Pastor, que deu a sua vida pela Igreja e pela evangelização de nossa gente. Como bom franciscano, deu testemunho de desapego das coisas materiais e de qualquer honraria humana”.

Em nome da Província Eclesiástica de Juiz de Fora, dom Gil solidarizou-se com a família franciscana capuchinha “na dor desta ausência e na fé firme na ressurreição dos mortos”. “A páscoa definitiva de Dom Clovis seja luz para a Páscoa que estamos para celebrar em toda a Igreja”, escreveu o arcebispo.

Trajetória

Em 1978, dom Clóvis, foi eleito primeiro bispo da recém-criada Prelazia de Coxim (MS), onde tomou posse no dia 14 de maio. Em 05 de janeiro de 1985 foi transferido para Manaus (AM) como arcebispo metropolitano, nomeado pelo papa João Paulo II, onde tomou posse no dia 31 de março. Em 22 de maio de 1991, foi nomeado arcebispo de Juiz de Fora (MG) com a tomada de posse em 15 de agosto. Atuou na arquidiocese até 28 de novembro de 2001, quando da publicação oficial da renúncia. Após 24 anos de múnus episcopal, tornou-se arcebispo emérito.

O arcebispo de Manaus, dom Sérgio Eduardo Castriani, publicou nota de pesar e lembrou que era comum escutar em seu discurso a gratidão pelo “dom de Deus”. “Assim guardamos a passagem de Dom Clóvis em nossa caminhada eclesial”, afirma o arcebispo. Na arquidiocese do Amazonas, dom Clóvis foi responsável pela reorganização administrativa, dinamizou a coordenação de Pastoral e coordenou duas Assembleias Arquidiocesanas de Pastoral. “Foi um grande incentivador das vocações para o clero local e reestruturou o Seminário Arquidiocesano São José proporcionando novas instalações e consistência no processo formativo. Organizou a Igreja de Manaus em regiões episcopais e fortaleceu a vida das Paróquias por meio das visitas pastorais. Homem de respostas imediatas e práticas suscitou a admiração e reconhecimento, sua passagem pelo meio de nós foi um ‘dom de Deus!'”, contou dom Sérgio.

Velório e sepultamento

O corpo de dom Clóvis está sendo velado na tarde desta terça-feira, na Capela da Casa São Frei Pio, junto ao Convento dos Capuchinhos, em Caxias do Sul (RS). A missa e orações de despedida terão lugar na Matriz Imaculada Conceição, na quarta-feira, 05, às 16h. O sepultamento acontecerá no Memorial dos Capuchinhos de Caxias do Sul, junto ao Convento dos Capuchinhos.

Com informações da Província dos Capuchinhos do Rio Grande do Sul

Escreva um Comentário

Ver todos os Comentários

Seu endereço de email não será publicado. Também outros dados não serão compartilhados com a terceira pessoa. Campos obrigatórios marcados como * *

Share This