Nazaré, escola do evangelho

Depois do Natal do Senhor Jesus, celebramos a Sagrada Família. Somos convidados a conhecer a sua casa em Nazaré, onde Jesus viveu longamente com Maria e José. A casa do silêncio, do trabalho, da oração. Uma humilde e grande escola, onde Jesus ensina com o exemplo, mais que com palavra. Nazaré nos recorda o que é a família, a comunhão de amor, sua beleza austera e simples, seu caráter sagrado e inviolável.

Ao visitar Nazaré, Paulo VI pronunciou comovente catequese: “Nazaré a escola onde se começa a compreender a vida de Jesus: a escola do Evangelho. Aqui se aprende a olhar, a escutar, a meditar e penetrar o significado, tão profundo e tão misterioso, dessa manifestação tão simples, tão humilde e tão bela, do Filho de Deus. Talvez se aprenda até, pouco a pouco, a imitá-lo”. A palavra do papa dirigida na casa de Nazaré, na humilde e sublime escola de Nazaré, o lugar onde se atua a mais completa formação para a compreensão do evangelho.

A humanidade de Cristo consagrou, na vida simples e comum de Nazaré, as coisas mais usuais, modestas, familiares do nosso viver. O quotidiano, assim muitas vezes pesado e desconhecido no seu valor, assumiu através da jornada terrena do Filho de Deus, um significado eterno.

Três linhas de magistério nascem da meditação sobre Nazaré: primeiramente o silêncio. Em nossa vida turbulenta, dispersiva, onde somente o fazer tem um sentido, Nazaré nos chama a atenção para a escuta, a interioridade, o retirar-se da agitação, da urgência de uma atividade febril e alienante.

A seguir o sentido da família. A sua função natural na ordem social, o seu valor pedagógico, o seu significado de comunhão, a primeira fundamental comunhão que principia entre os muros domésticos para abrir-se depois a todos os irmãos. Não é possível começar uma família sem uma grande preparação do coração de cada um dos esposos para a comunhão de vida, de amor, de abertura para acolher a nova vida de um filho, uma filha.

E ainda a lição do trabalho. A lei, certamente severa, mas redentora, da fadiga humana: fadiga que é comum a todos os seres humanos e, se vivida bem, os abre à verdadeira liberdade, à nobreza do seu empenho humano. O trabalho não deve ser fim em si mesmo, nem somente meio para prover à própria sustentação; é caminho para demonstrar mais plenamente a vida mesma do ser humano. O operário de Nazaré consagrou o trabalho em todas as suas formas, tirou todas as diferenças entre as suas diversas expressões.

Os cônjuges, no casamento, procurem eliminar todo motivo de tristeza e procurem reforçar e aumentar a paz familiar. Duas almas assim unidas não têm o que temer, nem das coisas nem dos acontecimentos. Quando existem a concórdia, a paz e o amor recíproco, o homem e a mulher possuem já todos os bens que contam verdadeiramente para a felicidade da família. Toda família, fundada sobre a operosidade, sobre o mútuo respeito, sobre o temor de Deus, é a força e a robustez da sua casa, da sua comunidade humana, das nações; é o núcleo e fundamento de toda virtude, defesa contra todo perigo de corrupção, reserva de sadias e sempre novas energias para o bem estar de cada um e do consórcio civil.

A festa da Sagrada Família de Nazaré é a festa das nossas famílias que procuram viver e aumentar o amor recíproco entre os seus membros; exaltação comovida dos afetos humanos, não somente mais caros, mas mais sagrados, mais santos. Doçura e obediência, simplicidade e humildade, resignação e sacrifício. Esta luz abençoada irradiante de Nazaré: luz da manhã e luz do pôr do sol, luz que não cessa nem mesmo quando as nuvens a cobrem. Reinem a paz e a concórdia, tenham em grande honra a oração e a observância da lei de Deus com afeto e respeito. Sem Deus, não existe senão infelicidade e inquietude. Como Jesus viveu em Nazaré, assim viva a família cristã, permaneça unida com sua caridade no vínculo perene, para toda hora do tempo e pela eternidade. Tutelará Jesus a paz doméstica que tempera as amarguras da vida. Assim paternalmente ensinava João XXIII.

A todos meu cordial desejo de Ano Novo com muita paz.

Artigos similares

Vida Eterna

09/11/2017

Escreva um Comentário

Ver todos os Comentários

Seu endereço de email não será publicado. Também outros dados não serão compartilhados com a terceira pessoa. Campos obrigatórios marcados como * *

Share This