Organismos Ecumênicos no Brasil

A reflexão aqui ensaiada é parte da dissertação de mestrado em Teologia, dedicada ao tema “História, teologia e prática do Centro Ecumênico de Evangelização,

Capacitação e Assessoria – CECA” do Rio Grande do Sul. Durante o trabalho, fui me perguntando sobre a identidade dos organismos ecumênicos autônomos ou agências ecumênicas de serviço, sua proposta de ecumenismo, sua relação com as Igrejas e sua eclesialidade. Creio que as constatações em relação ao CECA podem ser iluminadoras para a história de outros organismos ecumênicos assemelhados. Considerando os vários horizontes de compreensão do ecumenismo, assumimos a definição apresentada no Concílio Vaticano II:

Por “movimento ecumênico” entendem-se as atividades e iniciativas que são suscitadas e ordenadas, segundo as várias necessidades da Igreja e oportunidades dos tempos, no sentido de favorecer a unidade dos cristãos.

Portanto, quando falamos de ecumenismo nos referimos ao diálogo entre as Igrejas Cristãs ou entre os membros dessas Igrejas, através de várias formas de organização, especialmente de entidades e organismos ecumênicos. O diálogo entre as Religiões – que denominamos como diálogo inter-religioso – extrapola os objetivos do presente ensaio, embora seja hoje objeto do debate em vista da construção de um novo paradigma teológico.

Confira o texto na íntegra.

Escreva um Comentário

Ver todos os Comentários

Seu endereço de email não será publicado. Também outros dados não serão compartilhados com a terceira pessoa. Campos obrigatórios marcados como * *

Share This