Pastoral Afro-brasileira: a missão continua

As atividades da pastoral afro-brasileira têm significado uma riqueza na missão evangelizadora da Igreja no Brasil. Os frutos que hoje colhemos são resultado de um processo de décadas onde muitos líderes se empenharam em fazer de nossa Igreja o espaço também do povo negro. Nisto temos um referencial, a Campanha da Fraternidade de 1988 que trazia o tema a fraternidade e o negro e o lema “ouvi o clamor deste povo”.

Esta campanha, fruto das reflexões e articulações dos anos anteriores, deixou a sua marca também por caracterizar o início da pastoral afro-brasileira como uma articulação de âmbito nacional. Em 2008 foram celebrados vinte anos desta caminhada.

Um olhar para o passado nos convida a louvar a Deus pela força recebida e que permitiu a construção desta caminhada onde muitos se empenharam e buscaram o seu espaço em nossas comunidades.

O olhar para o futuro revela que “temos ainda um longo caminho a percorrer (1Rs 19,7)”. Os dados da realidade demonstram que a pobreza, a exclusão social, o preconceito e a discriminação ainda estão no caminho dos afro-brasileiros. A luta pela cidadania e pela vida digna dos nossos irmãos negros e negras caracteriza o nosso compromisso de agentes de pastoral.  Queremos trilhar este caminho com a coragem e resistência dos nossos antepassados e com a fé que nos congrega na missão dos seguidores do Ressuscitado.

Lembramos aqui a caminhada dos Discípulos de Emaús (Lc 24, 13ss). O encontro com Jesus Cristo permitiu que recuperassem a história, a coragem e o sentido da missão. Então o temor cedeu espaço à coragem de voltar para a luta, o desânimo deu lugar à determinação de que a missão continuava, a incerteza do futuro foi esquecida quando descobriram que este é construído pela participação de todos, unidos pelo mesmo objetivo.

A experiência dos Discípulos de Emaús motiva a continuarmos a nossa caminhada de discípulos missionários. Com a nossa alegria e com a nossa experiência de fé vamos dar a nossa contribuição para a Igreja. Pelo toque do tambor, pela dança e pelo sorriso aberto, mas também pelo luta e pela ação cidadã o evangelho ganha espaço no coração das pessoas.

O ano de 2009 será um ano rico em atividades para os agentes de pastoral afro-brasileira. Foi lançado o subsídio de estudos “Pastoral afro-brasileira: princípios de orientação” que está à disposição de todos pelas Edições CNBB. Será um apoio valioso para as atividades dos grupos de base. Nos dias 08-11 de Julho teremos o Congresso Nacional das Entidades Negras Católicas na cidade de São Luiz – MA. No mês de agosto, dias 03-07, acontecerá o Encontro de Pastoral Afro-americana no Panamá. Em novembro vamos assinalar o “mês da consciência negra” com ações propositivas de resgate e valorização da cultura afro-brasileira.

Também somos desafiados a continuar nosso trabalho nas comunidades reafirmando nosso compromisso evangelizador e com a cidadania. Neste ano será votada no Senado a lei das cotas. Estejamos atentos a este processo. O apoio às reivindicações dos Povos Quilombolas e comunidades tradicionais é muito importante. Junto com a posse da terra está a manutenção da cultura e da tradição da nossa gente.  Não podemos deixar de dar a nossa contribuição à Campanha da Fraternidade que neste ano enfocará o tema da segurança publica.

Temos um caminho a percorrer. Que seja um bom caminho!

Rogamos a Deus que o ano de 2009 seja repleto de bênçãos e de axé!

Pe Ari Antônio dos Reis

Escreva um Comentário

Ver todos os Comentários

Seu endereço de email não será publicado. Também outros dados não serão compartilhados com a terceira pessoa. Campos obrigatórios marcados como * *

Share This