“Cuidem do corpo e da respiração como um bem precioso da saúde”, diz Dom Roberto Ferrería

A Pastoral da Saúde da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), que há quase 100 anos faz um trabalho importante de acolhida aos enfermos e de promoção e cuidado com a vida humana, têm sido uma grande aliada em campanhas proativas que ajudam a preservar a saúde da população.

Foto: INCA

Neste contexto, o bispo de Campos (RJ) e referencial da Pastoral da Saúde, dom Roberto Ferrería Paz, destaca que “a luta antitabagista tem se mantido firme e esperançosa em nossas comunidades e redes eclesiais”.

Desde 1987, a Organização Mundial da Saúde (OMS) criou o Dia Mundial Sem Tabaco – 31 de maio – para alertar sobre os danos causados aos pulmões pela exposição ao tabagismo, seja ativo ou passivo. E para este ano, a OMS definiu como tema “Tabaco e saúde pulmonar”.

De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (INCA), responsável pela divulgação e elaboração do material técnico sobre as comemorações, o uso do tabaco e a exposição ao fumo passivo exercem um impacto direto e negativo sobre a saúde pulmonar, do câncer de pulmão, nas doenças respiratórias crônicas como asma em doenças pulmonares crônicas como bronquite e efisema.

Ainda segundo o INCA, o tabaco fumado, em qualquer uma de suas formas, é responsável por até 90% de todos os cânceres de pulmão – órgão que tem um papel fundamental na saúde e no bem-estar de todas as pessoas.

Dom Roberto Ferrería Paz ressalta que o movimento antitabagista no mundo e no Brasil tem gerado uma cultura de libertação do tabaco e defendido espaços públicos de abstinência do fumo.

“Ainda precisamos continuar a substituir e neutralizar a indústria do fumo e a consciência de seus efeitos deletérios”, disse.

Desde 2018, o papa Francisco Papa tomou uma iniciativa importante no que tange a preservação da saúde e proibiu a venda de tabaco no Vaticano. A norma foi publicada em 9 novembro 2017.

Segundo o porta-voz da Santa Sé na época, Greg Burke, “A explicação é simples: nenhum lucro pode ser legítimo se está custando a vida de pessoas”.

Até então, os funcionários e aposentados do Vaticano podiam comprar cigarros, charutos e tabaco com desconto no supermercado que se encontra no Estado pontifício, que é uma fonte de receita para a Santa Sé.

Ainda segundo o anuncio do porta-voz “a Santa Sé não pode cooperar com uma prática que prejudica claramente a saúde das pessoas”.

No Brasil, o bispo referencial da Pastoral da Saúde chama a atenção para que cristãos e pessoas de boa vontade cuidem do corpo e da respiração como um bem precioso da saúde, afinal cada corpo é um templo do Espírito Santo.

“Que o Senhor da Vida limpe nossos pulmões da nicotina e permita uma libertação total aos irmãos fumantes dependentes”, finaliza dom Roberto.

Share This