Pastoral da Sobriedade de Volta Redonda realiza caminhada contra as drogas

Guiados pelo lema “Ri melhor quem ri sem drogas”, cerca de três mil pessoas participaram da Caminhada Sobriedade e Paz, realizada pela Pastoral da Sobriedade da diocese de Barra do Piraí – Volta Redonda (RJ), no último dia 21.

O bispo de Barra do Piraí – Volta Redonda, dom Francisco Biasin, e o bispo emérito, dom João Maria Messi, participaram do evento, que contou também com a presença das pastorais sociais, padres e religiosas, além de representantes do governo municipal e parlamentares.

Durante a caminhada, houve paradas estratégicas para oração e reflexão e os doze passos da sobriedade cristã foram destacados. Ao chegarem ao Memorial Zumbi, dom Biasin falou aos presentes sobre a primeira atividade pública na diocese para a Semana Nacional de Prevenção às Drogas.

“Para nós, como Igreja Católica, é uma alegria muito grande colocar todas as nossas energias à serviço da vida e da esperança na prevenção, porque muitas vezes corre-se atrás de ajuda quando a pessoa já entrou no mundo das drogas e o estrago já está feito”, explicou.

Segundo dom Biasin, “é preciso prevenir por meio de políticas públicas, uma educação de qualidade, famílias que possam integrar os jovens dentro de um amor maior, a vida e aos afetos familiares e na construção do futuro dos jovens, é a melhor maneira para que ele não entre nesse caminho de desgraça e destruição”.

O agente da Pastoral da Sobriedade da paróquia São Sebastião, Adriano Basílio, destacou a ajuda da Pastoral na recuperação de dependentes. “Viver sem drogas é possível e importante porque existem grupos de ajuda da Pastoral. A Igreja vem dando importância para a superação. Em Barra Mansa temos quatro grupos e atuamos todos os sábados, às 18h, no térreo do edifício Brasília, nº 261, Centro. Quem quiser mudar sua vida nos procure. A recuperação vai depender da pessoa, que precisa caminhar em conjunto, acreditando em Deus e assim, sem dúvida, ela vai se livrar das drogas”, expressou.

Gilberto Fernandes, membro da pastoral de Volta Redonda, explicou que os grupos de ajuda também estão disponíveis para as famílias dos dependentes. “Os familiares sofrem. Procuramos trabalhar com amor, otimismo e lealdade. A mudança de postura dos pais no relacionamento com os filhos é um passo importante e, para isso, desenvolvemos a terapia do amor, um programa de vida nova, de sobriedade passo a passo”, destacou.

Com informações da diocese de Barra do Piraí – Volta Redonda

Escreva um Comentário

Ver todos os Comentários

Seu endereço de email não será publicado. Também outros dados não serão compartilhados com a terceira pessoa. Campos obrigatórios marcados como * *

Share This