Presidente da CNBB destaca atuação diplomática e espiritual de dom Lorenzo Baldisseri no Brasil

O presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, cardeal Raymundo Damasceno Assis, esteve presente na missa de despedida do núncio apostólico no Brasil, dom Lorenzo Baldisseri, promovida pela arquidiocese de Brasília, no último dia 5 de fevereiro, na Catedral Metropolitana de Brasília.

No último dia 11 de janeiro, dom Lorenzo foi nomeado pelo Santo Padre, o papa Bento XVI, secretário da Congregação para os Bispos.

Segundo dom Damasceno, dom Lorenzo Baldisseri foi cumpridor “fiel” da missão diplomática e espiritual apresentada pelo Santo Padre. “Ele desempenhou, com especial dedicação, o papel de intermediário de comunicação entre a Santa Sé e o governo brasileiro. Esteve sempre atuante nas ocasiões em que se fazia necessária a presença do representante do Santo Padre, chefe do estado da Cidade do Vaticano, junto ao governo do Brasil”.

Veja a íntegra do discurso de dom Damasceno na missa de despedida do núncio apostólico no Brasil, dom Lorenzo Baldisseri.

Saudação ao senhor Núncio Apostólico, na celebração eucarística de sua despedida.

Exmo. sr. Núncio, Dom Lorenzo Baldisseri
Exmo. Sr. Arcebispo Metropolitano de Brasília, Dom Sérgio Rocha
Eminentíssimos Senhores Cardeais
Sacerdotes, Religiosos, fiéis leigos
Autoridades civis e militares

O Papa Bento XVI, em junho do ano passado, ao falar aos alunos da Pontificia Academia Eclesiástica e se referir aos Núncios, Delegados Apostólicos, Observadores Permanentes e àqueles que prestam serviço nas Representações Pontifícias espalhadas pelo mundo, afirmou com toda clareza: “as rápidas transformações da nossa época deram de modo  profundo nova forma à figura e ao papel dos representantes diplomáticos; a sua missão permanece contudo essencialmente a mesma: ser o intermediário de uma comunicação correta entre aqueles que exercem a função do governo e, por conseguinte, instrumento de construção da comunhão possível entre os povos e da consolidação entre eles de relações pacíficas e solidárias”.

Sinto que podemos dar hoje um testemunho verdadeiro de que Dom Lorenzo Baldisseri, nesses 9 anos que esteve à frente da Nunciatura Apostólica no Brasil, foi cumpridor fiel dessa missão diplomática e espiritual apresentada pelo Santo Padre. Ele desempenhou, com especial dedicação, o papel de intermediário de comunicação entre a Santa Sé e o governo brasileiro. Esteve sempre atuante nas ocasiões em que se fazia necessária a presença do representante do Santo Padre, chefe do estado da Cidade do Vaticano, junto ao governo do Brasil. Garantiu os cuidados para o aprofundamento da histórica estabilidade das relações diplomáticas entre os dois estados e, pelo particular modo de realizar seu trabalho, ganhou a estima tanto dos governantes que ocuparam os postos de comando nesta última década como também do corpo diplomático que serve suas nações com representações no Brasil.

Entre inúmeras iniciativas realizadas neste âmbito, podemos destacar o empenho particularmente assumido por Dom Baldisseri em concluir as negociações sobre o acordo entre o governo brasileiro e a Santa Sé que estabeleceu o Estatuto Jurídico da Igreja Católica no Brasil, promulgado pelo Presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em 11 de fevereiro de 2010. Seu papel foi decisivo e histórico de modo a se tornar, para nós, um legado que vai garantir, segundo suas próprias palavras por ocasião da promulgação do Tratado, a estabilidade tanto na continuidade de relações harmoniosas entre o Brasil e a Santa Sé quanto no esclarecimento de uma clara e adequada regulamentação da presença e contribuição da Igreja para o progresso, a harmonia e o bem comum da sociedade brasileira.

Dom Baldisseri, além de diplomata excepcional, tem sido, para nós, um dedicado irmão no episcopado. Lembro-me também de outras palavras do Santo Padre naquele mesmo discurso aos alunos da escola de diplomatas do Vaticano, ao mostrar como se situa e como age um diplomata da Santa Sé. Ele dizia: “é um sacerdote, um bispo, um homem que já escolheu viver ao serviço de uma Palavra que não é a sua. De fato, ele é um servo da Palavra de Deus, foi investido, como cada sacerdote, de uma missão que não pode ser desempenhada a meio tempo, mas que exige que ele seja, com toda a sua vida, uma ressonância da mensagem que lhe está confiada, a do Evangelho. E é precisamente com base nesta identidade sacerdotal, bem clara e vivida de modo profundo, que se insere, com certa naturalidade, a tarefa específica de se fazer portador da palavra do Papa”.

No cumprimento dessa tarefa, o senhor Núncio esteve sempre muito presente na vida da Igreja. Alguns números simbolizam, de modo muito especial, esse seu zelo de portador da palavra do Papa. Considerando o período que compreende os últimos meses de 2002 até o início deste ano, Dom Baldisseri nos trouxe 253 provisões nas Dioceses, a nomeação de 143 novos bispos e a instituição de 9 novas dioceses. Além disso, respondeu sempre, com solicitude, o convite dos bispos e visitou 105 arquidioceses e dioceses no Brasil.  A Arquidiocese de Aparecida, sede do  Santuário Nacional da Padroeira do Brasil, teve a grata satisfação de receber  Sua Excelência Dom Lorenzo Baldisseri  em várias ocasiões. Essa presença, sempre amiga, tornou-se uma marca do exercício da sua função e colaborou, de maneira muito fraterna, com a comunhão entre os bispos e o sucessor de Pedro.

Do conjunto do seu trabalho diplomático e apostólico veio como fruto um livro que eu tive a felicidade de prefaciar: “Ação e Missão – Um itinerário eclesial no Brasil”. Conforme registrei naquele texto, os pronunciamentos de Dom Baldisseri mostram a face de um bispo pregador, pastor zeloso, que anuncia o Evangelho nos mais diversos ambientes. E suas intervenções fraternas por meio das homilias, conferências e discursos responderam às necessidades da Igreja, na política e na cultura e nos trouxeram uma palavra de iluminação para ocasiões de celebração e de luto além de nos ajudaram a recuperar a memória de fatos e de pessoas marcantes na vida da Igreja no Brasil. Seu testemunho nos ajudou a compreender mais a função importante e multiforme de um Representante do Papa. Dom Baldisseri sempre acolheu os bispos com enorme simpatia e disponibilidade. Esteve presente nas assembléias anuais da nossa Conferência Episcopal e nos tratou com especial deferência manifestando interesse e abertura em nos ajudar em todas as circunstâncias que tivemos necessidade.

Em nome do nosso episcopado, da Igreja no Brasil, agradecemos a Dom Lorenzo Baldisseri por tudo o que ele realizou e pela sua presença tão benfazeja em nosso país. Fazemos sinceros votos, caro Dom Lorenzo, que seu novo trabalho, tão importante e especial para a Santa Sé, como Secretário da Congregação para os Bispos,  sob a proteção de Nossa Senhora Aparecida,  seja abençoado e traga muitos frutos para a Igreja. Acompanhamos sua nova missão com nossas orações e asseguramos que o Brasil estará sempre de portas abertas para recebê-lo com alegria. Deus o abençoe, Dom Lorenzo. Muito obrigado.

Cardeal Dom Raymundo Damasceno Assis
Arcebispo de Aparecida e Presidente da CNBB

Escreva um Comentário

Ver todos os Comentários

Seu endereço de email não será publicado. Também outros dados não serão compartilhados com a terceira pessoa. Campos obrigatórios marcados como * *

Share This