Presidente da Comissão para Doutrina da Fé da CNBB faz balanço da gestão neste quadriênio

A Comissão Episcopal Pastoral para a Doutrina da Fé da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) tem a função de assessorar o episcopado brasileiro em algumas questões doutrinais e trabalhar as questões de fé e da moral dentro da Conferência a partir de alguns problemas que possam surgir através do processo de evangelização.

Além disso, a comissão também presta assessorias analisando textos litúrgicos e escritos relacionados à fé, atualmente é presidida pelo bispo de Santo André (SP) dom Pedro Carlos Cipollini.

Dom Pedro Carlos Cipollini

Com o mandato de quatro (2015/2019) chegando ao fim, o presidente faz um balanço das atividades realizadas e o que ficou de legado nesse quadriênio. “O maior legado, tangível, são as publicações que preparou ou coordenou. Foram três subsídios doutrinais: O ensino da filosofia na formação presbiteral; Exorcismos: reflexões teológicas e orientações pastorais; Fé cristã e laicidade”, ressalta.

Dom Cipollini destaca ainda que a comissão acompanhou o processo da tradução da Bíblia Sagrada até o início da editoração, coordenou a tradução dos Documentos do Concílio Vaticano II e a publicou o trabalho de peritos sobre a Misericórdia. Uma coleção de oito livros, organizados a partir de diferentes temáticas sobre a misericórdia.

Reunião da comissão da Doutrina da Fé na CNBB. Foto: Maurício Sant´Ana

A comissão que é composta por 5 bispos e 19 peritos nas várias áreas e disciplinas da teologia entre elas: bíblia, moral, sistemática e dogmática. Para dom Cipollini, o trabalho como presidente da comissão “me renovou na determinação de trabalhar em comunhão, consultando, ouvindo, iniciando e apoiando processos de participação amplos e coletivos”, finaliza.

Share This