“O Sacerdote e a Pastoral no Mundo Digital: Os Novos Meios de Comunicação a serviço da Palavra”

Na carta para os sacerdotes, datada de 24/01/2010, para o Dia Mundial das Comunicações Sociais, a realizar-se em 16/05/2010, o Santo Padre comenta o tema do referido dia, que é enunciado assim: “O Sacerdote e a Pastoral no Mundo Digital: Os Novos Meios de Comunicação a serviço da Palavra”. Estando nós em pleno ano sacerdotal, depois de termos celebrado o Sínodo da Palavra de Deus, e o Sumo Pontífice Romano considera providencial o tema acima, lembrando que o âmbito de pastoral se torna muito vasto, pois oferece ao sacerdote novas possibilidades para exercer o seu serviço.

Embora já funcionando, há muito tempo como instrumentos ordinários de comunicação, é recente a sua incisiva difusão. A sua notável influência torna mais importante e mais útil o seu uso no ministério sacerdotal. A Igreja deve anunciar a Palavra de todas as maneiras de que puder fazer uso e esse novo veículo aumenta a responsabilidade do anúncio. O Santo Padre lembra São Paulo, que diz: “Ai de mim se não anunciar o Evangelho”. (cf. 1Cor 9,16).

O sacerdote encontra-se no limiar de uma “história nova”, segundo o Santo Padre, porque o seu âmbito de ação se torna imensamente mais amplo. Então, ele deve multiplicar o seu empenho. Que não se use a “internet” como mera exigência pastoral, mas com uma constante fidelidade evangélica. Os novos meios de comunicação devem ser adicionados aos meios tradicionais porque serão úteis para a evangelização e a catequese. A rede mundial de computadores tem um fluxo comunicativo ininterrupto que deve ser aproveitado pelo presbítero para divulgar a vida da Igreja e levar os homens a descobrir o rosto de Cristo. O mundo digital, sendo usado para o anúncio da Palavra, deve deixar patente que a amorosa atenção de Deus em Cristo por nós não é algo do passado. É uma realidade concreta e atual. A humanidade, no mundo de hoje, se acha desorientada e a pastoral, na internet, deve mostrar que “Deus está próximo, que, em Cristo, somos todos parte uns dos outros”. (Bento XVI, Discurso à Cúria Romana na Apresentação dos votos de Natal).

Ninguém melhor que o sacerdote, “um homem de Deus”, para desenvolver e por em prática uma pastoral que torne Deus vivo e atual na realidade de hoje, apresentando a sabedoria religiosa do passado como riqueza de onde se pode haurir para se viver dignamente o presente e construir o futuro. Quem usa a internet como via de pastoral deve preparar a estrada, despertando o interesse para novos encontros, procurando atingir as necessidades espirituais das pessoas, de tal modo que quem vive nessa era “digital” possa reconhecer o Senhor, educando-se para a esperança, aproximando-se da Palavra de Deus que salva e desenvolve integralmente o homem.

A Palavra deve ocupar um lugar especial nesse emaranhado de estradas oferecidas pela internet, colocando Deus em todos os lugares para que se ouça a sua voz: “Eu estou à porta e chamo. Se alguém ouvir a minha voz e me abrir a porta, entrarei em sua casa e cearei co m ele e ele comigo.” (Ap 3,20).

No ano passado, nesta mesma época, o Santo Padre encorajou os comunicadores a promover uma cultura que respeite a dignidade da pessoa humana. Agora, ele acrescenta que, com o Evangelho nas mãos e no coração, é preciso reafirmar que é tempo também de continuar a preparar caminhos que conduzam à Palavra de Deus, não descuidando daqueles que ainda hesitam e se acham em condição de busca. O sacerdote deve se lembrar também daqueles que não acreditam e que se cansaram das fórmulas antigas.

Assim como Isaías sonhou com uma casa de oração para todos os povos, o Santo Padre sugere que a internet pode dar espaço também àqueles para quem Deus é ainda um desconhecido.

Como nenhum caminho deve ser vedado a ninguém, o sacerdote deve se lembrar também daqueles que professam outras crenças.

E não se esquecer, principalmente, que a fecundidade do ministério sacerdotal deriva primariamente de Cristo encontrado e escutado na oração, anunciado na pregação e no testemunho de vida, conhecido, amado e celebrado nos sacramentos, sobretudo da Santíssima Eucaristia e da Reconciliação.

O Santo Padre termina a mensagem convidando os presbíteros a aproveitarem com sabedoria a oportunidade oferecida pela comunicação moderna e apresentando votos de que o Senhor os torne apaixonados anunciadores da boa nova nos tempos atuais. De minha parte, quando era arcebispo metropolitano, criei o site da Arquidiocese de Juiz de Fora e empenho, com alegria, grande parte de meu ministério em partilhar as minhas experiências em artigos semanais que envio para os sites. A estes sites católicos ou não, que se abrem para receber a comunicação da Palavra de Deus quero enviar o meu empenhado e reconhecido agradecimento e encorajá-los a sempre olhar para o Cristo na rede mundial de computadores: DUC IN ALTUM! Que nossos queridos irmãos sacerdotes sejam capazes de acompanhar a evolução dos tempos e evangelizar pela rede.

Escreva um Comentário

Ver todos os Comentários

Seu endereço de email não será publicado. Também outros dados não serão compartilhados com a terceira pessoa. Campos obrigatórios marcados como * *

Share This