Quaresma

Por estarmos em plena Quaresma, tempo a que a Igreja dá especial sentido de purificação em preparação para a Páscoa, não parece dispensável refletir sobre a purificação de nossa alma para melhor fruto de nossa vida cristã.

São Marcos nos conta (Mc 1, 40ss) que um leproso chegou a Jesus e lhe disse que se Ele quisesse poderia por certo curá-lo e assim ele poderia voltar à vida social, da qual, por lei, estava afastado. Na palavra do leproso se tornam claras duas coisas: o desejo de curar-se e a certeza de que Jesus teria poder para dar-lhe a saúde: um pedido e um ato de fé.

Na vida religiosa do Brasil não fica difícil perceber como as pessoas fazem dos momentos de oração pessoal e comunitária ocasião para pedir. É claro que Deus, por ser nosso pai, tem prazer de nos atender. Mas a vida religiosa não consiste só em pedir. É preciso que aprendamos a orar também em outras dimensões.

A primeira dimensão de nossa prece é reconhecer a grandeza e a majestade de Deus. Ser infinito e perfeitíssimo, merece nossa admiração, nosso louvor. Por isto, os santos, em muitos momentos, se punham na contemplação da grandeza infinita de Deus e mergulhavam o pensamento e o coração neste suave descanso da mente na plenitude divina: Oração contemplativa.

O leproso, que procurou Jesus para ser limpo da lepra, pediu com fé, mas antecipadamente se colocou, humilde, sob a vontade dele: “se queres”, disse ele. A resposta de Jesus foi: “Quero. Fica limpo” (O texto grego de São Marcos usa o verbo “kathareo” que significa limpar. Daí vem o termo em português: “catarse”).

Aí está o que devemos desejar pedir: ser limpo. O leproso quis ser limpo da lepra. Nosso pedido ao Senhor é sermos purificados das maldades da alma, dos defeitos, do pecado.

A Quaresma é o tempo propício para esta purificação espiritual, verdadeira catarse do coração. Quando estamos lendo todos os dias nos jornais os horrendos crimes, que, mesmo diários, ainda nos assustam – assaltos, roubos, corrupção, sequestros, assassinatos, etc. – torna-se evidente a necessidade de verdadeira purificação pessoal e social.

Será que teremos a felicidade de criar uma sociedade tranquila e fraterna, sem as agressões do nosso quotidiano? A súplica humilde e confiante do leproso seja a inspiração de nossa prece neste período de preparação da Páscoa: “Se queres, podes limpar-me”. Será uma graça imensa ouvir do Senhor: “Quero. Sê limpo, claro, nítido, sem mancha”.

Dom Benedicto de Ulhôa Vieira

Artigos similares

Domingo de Ramos

23/03/2018

Escreva um Comentário

Ver todos os Comentários

Seu endereço de email não será publicado. Também outros dados não serão compartilhados com a terceira pessoa. Campos obrigatórios marcados como * *

Share This