Regionais do Sul do país discutem estudo 107 da CNBB sobre formação de leigos

A região Sul do país, que compreende as dioceses dos regionais Sul 2 (Paraná), Sul 3 (Rio Grande do Sul) e Sul 4 (Santa Catarina) da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) promoveu no dia 28, em Florianópolis (SC), o II Encontro da Região Sul com os Responsáveis pela Formação para o Laicato e Cursos de Teologia para Leigos e Leigas.

O coordenador do curso de teologia da Faculdade Católica de Santa Catarina,  Celso Loraschi, pontuou desafios e perspectivas na formação do laicato e dos cursos teológicos. Segundo ele, “é vontade de Deus dar-se a conhecer”, por isso “o acesso ao conhecimento de Deus não pode ser privilégio de alguns”.

Loraschi analisou que Jesus deixou-se formar e ensinou com convicção “libertando, incluindo e devolvendo a capacidade de autonomia”. Nisto reside o poder da formação teológica: ou ela “engessa, infantiliza, ou até oprime e exclui” ou “como a teologia de Jesus, inclui, motiva, devolve a capacidade de pensar e agir”. Essa é a boa notícia da qual os cristãos são portadores, a “formação da consciência nova”, como ressaltou.

O professor frisou ainda a necessidade da criação de equipes de “ministério de formação permanente”. Para ele, caberia a essas equipes promover a formação continuada em vista da “consciência nova”, a partir de Jesus. Do seu ponto de vista, isto é prioritário porque “repercute no jeito de viver, de trabalhar, de exercer a profissão, de ser honesto, de ser inteiro”. Estas equipes precisam ter objetivos e metas, para além dos cursos rápidos. “O desafio é o processo de formação permanente”, destacou.

Ele acrescentou que o futuro da Igreja está no protagonismo dos leigos e das leigas com esta consciência.

Estudo

O grupo também discutiu o texto de Estudos nº 107 da CNBB, Cristãos leigos e leigas na Igreja e na Sociedade, sobre o papel de homens e mulheres que ajudam na construção do Reino de Deus. As emendas propostas no encontro serão analisadas pela equipe de redação.

O bispo de Caçador (SC) e presidente da Comissão Episcopal Pastoral para o Laicato,dom Severino Clasen, elogiou as sugestões de acréscimos e melhorias do texto.

“Imaginem essas propostas apresentadas com as de todo o Brasil… e queremos atingi-lo todo, que contemple todas as culturas. Será um documento muito rico. E que cada um se sinta orgulhoso de participar disso. Você está ajudando a construir um documento que vai mudar muito a Igreja no Brasil”, acentuou o prelado.

Dom Severino complementa que a preocupação maior não deve ser em encher cada vez mais as igrejas, mas em prepararmos bem os leigos para sua missão na Igreja e na sociedade. “Onde o cristão vai ter que agir: é lá onde ele está, na sua profissão, na dimensão social, na politica, no seu emprego, na família, nas iniciativas de igreja e tudo mais”, explicou o bispo.

O estudo poderá receber novas propostas até maio. Uma sugestão de debate do texto e uma ficha para envio das contribuições estão disponíveis no site www.cnbb.org.br.

Os três regionais do Sul também apresentaram algumas experiências diocesanas de formação para laicato. Todas oferecem alguma modalidade de curso de teologia, entre pós-graduação, graduação, extensão universitária ou curso livre.

Com informações do regional Sul 4

Escreva um Comentário

Ver todos os Comentários

Seu endereço de email não será publicado. Também outros dados não serão compartilhados com a terceira pessoa. Campos obrigatórios marcados como * *

Share This