Religiosos aprofundam DGAE

O padre Elias Wolff, assessor da Comissão Episcopal Pastoral para o Ecumenismo e o Diálogo Interreligioso da CNBB, aprofundou o texto das Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil (DGAE) com o grupo dos missionários redentoristas de Goiás na quarta-feira, dia 23 de novembro. Os padres e irmãos da congregação atuam também no Distrito Federal, no Tocantins e no Mato Grosso. A reunião foi realizada no Centro de Formação do Santuário de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, em Goiânia (GO).

As Diretrizes foram apresentadas com o objetivo de ajudar a província dos redentoristas a formular um plano de colaboração no trabalho apostólico, a partir do carisma de sua congregação e em estreita sintonia com a Igreja, junto às arquidioceses de Goiânia e de Brasília, da diocese de Ipameri e de Barra do Garças como também junto às prelazias de Cristalândia e de São Felix do Araguaia, onde os missionários têm comunidades. “A presença do padre Elias foi particularmente significativa para a caminhada do nosso grupo pois reafirmou de maneira simples e direta a grandeza e a força das DGAE para animar nosso trabalho missionário”, disse padre Fábio Bento da Costa, superior provincial dos redentoristas de Goiás.

Os redentoristas chegaram ao Brasil no final do XIX e os pioneiros da missão no centro-oeste eram alemães oriundos da Baviera. Foram convidados a trabalhar no país por dom Eduardo da Silva, bispo da então diocese de Goiás e Dom Joaquim Arcoverde, arcebispo de São Paulo. Aqueles que foram para Goiás, receberam uma tarefa bem definida: cristianizar a romaria do Divino Pai Eterno em um lugarejo que hoje se chama Trindade e se localiza a 18 quilômetros da capital goiana. A cidade de Goiânia nasceu muito depois da chegada dos redentoristas como obra urbana planejada, mas os missionários acudiram as necessidades pastorais da Igreja e assumiram o cuidado de muitas paróquias na região. Hoje, o grupo é composto por cerca de 90 membros e permanece em Trindade e Goiânia, depois de expandir para frentes missionárias mais distantes deste eixo geográfico.

“As DGAE jogam luzes importantes para o prosseguimento da ação missionária dos redentoristas e encontramos nas urgências destacadas dentro do texto oficial um itinerário extraordinário para avaliar e planejar a nossa caminhada. A colaboração do padre Elias nos levou a perceber com maior clareza quais os desafios nos tocam mais de perto”, explica padre Paulo César Nunes de Oliveira, Diretor da Rádio Difusora de Goiânia e um dos coordenadores do encontro. A exposição feita deixou como uma de suas mensagens principais a constatação de que as DGAE devem servir como uma referência constante. Desse modo, além de serem a base na qual se sustenta elaboração dos planejamentos da pastoral das dioceses, movimentos e congregações também são elas que norteiam as necessárias revisão e correções de rumo neste quadriênio.

Os redentoristas da Província de Goiás são responsáveis por duas paróquias na Prelazia de São Felix do Araguaia: Vila Rica e Confresa. Coordenam os trabalhos da pastoral na cidade de Paraíso do Tocantins. Cuidam de duas paróquias na arquidiocese de Brasília: Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, no Lago Sul e Santo Afonso, na cidade de São Sebastião. E estão em diversas comunidades na arquidiocese de Goiânia. São eles também que respondem pela animação missionária de três importantes santuários da região: Divino Pai Eterno, em Trindade, Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, em Goiânia e Nossa Senhora das Graças, em Nova Xavantina, no Mato Grosso.

Escreva um Comentário

Ver todos os Comentários

Seu endereço de email não será publicado. Também outros dados não serão compartilhados com a terceira pessoa. Campos obrigatórios marcados como * *

Share This