Roma: Encontro reúne 800 superioras gerais de todo o mundo

Aconteceu em Roma, no Hotel Ergife, próximo ao Colégio Pio Brasileiro, entre os dias 7 e 11, a Assembleia Plenária Trienal da União Internacional das Superioras Gerais (UISG). A entidade foi fundada em 1965 com o objetivo de representar as 1900 congregações de direito diocesano e pontifício, com um número total de 750 mil religiosas. O evento reuniu 800 superioras gerais representando 600 mil religiosas ao redor do mundo. A diversidade de línguas, hábitos, uniformes ou estilo de trajes testemunhava a beleza da universalidade da Igreja.

O encontro e as celebrações aconteceram no grande auditório do hotel, onde as irmãs foram distribuídas em número de 10, nas mesas redondas segundo o idioma de origem. A assembleia foi dividida em conferências, reflexões em plenário e momentos de partilha nos pequenos grupos. No momento da abertura a presidente da UISG, Maureen Cusick, NDS, acolheu a todos e apresentou o tema da assembleia, que foi tirado de um pensamento de São João de Deus: “Conheço bem a fonte que jorra e corre, ainda que seja noite”.

A primeira conferência teve por tema “Mística e profecia: um estilo de vida e novos areópagos” e foi apresentada pelo carmelita espanhol P. Ciro Gracia, inspirado na experiência mística de São João da Cruz. No momento de partilha as religiosas descreveram como noite a presente situação do mundo, os desastres naturais, as situações de violência e pobreza e o momento difícil por que passa a Igreja. Algumas irmãs não deixaram de expressar que o processo de conversão e diálogo faz-se necessário também ao interior da própria Igreja. A brasileira, Irmã Terezinha Rasera, Geral das Salvatorianas, que participou da Comissão Diretiva, nos últimos três anos definiu a experiência como um “lugar de aprendizado” onde se “vivem múltiplas diferenças”. Ela apontou como parte importante no processo dos últimos anos a busca por “manter o diálogo aberto com a Congregação para a Vida Religiosa”. “Conseguimos quebrar barreiras e estabelecer diálogo”, disse ela.

Durante uma das plenárias, a Irmã Liliane Sweko mencionou a situação dramática dos assassinatos e violência praticados contra mulheres na África.  E precisou o número de irmãs mortas: “Somente no ano de 2003 foram registrados 235 assassinatos de irmãs”. “Mesmo que o mundo esteja sendo desfigurado pela violência, todos os tipos de terrorismo, guerras e conflitos, muitas vezes inflamados pelo poder e pelas multinacionais que buscam lucrar com estas situações, a fim de explorar as riquezas dos países pobres e manter as pessoas dominadas e oprimidas, nossa fé cristã nos assegura que Deus está sempre presente neste mundo”, reiterou a irmã.

A assembleia terminou com a Eucaristia de ação de graças animada por um coral de irmãs do Congo. O presidente da celebração, o Filipino padre Antonio Pernia, Superior Geral dos Verbitas ressaltou que vivemos um tempo de transição e que “é justamente neste tempo que nos vem o Espírito Santo.

A irmã Maria Inês Vieira Ribeiro, Superiora Geral das Mensageiras do Amor Divino, que tem sua sede geral em Aparecida (SP), sentiu-se tocada pela “riqueza dos continentes e a realidade das culturas presentes”. Perguntada sobre as noites que desafiam a vida religiosa no Brasil ela apontou “a chaga da corrupção que reina no meio político” e as situações de violência no meio urbano, que invadem também os meios rurais. “É triste constatar que a expansão da droga faz com que o Brasil, um país jovem perca tantos jovens”, afirmou ela.

A irmã Tereza Valler, Geral das Catequistas Franciscanas, comenta que desta vez “a assembleia teve uma dinâmica diferenciada, com menos símbolos e menos movimentos, mas tivemos mais partilha, mais silêncio e mais momentos de escuta, no sentido de captar aquilo que a Divina Sabedoria está nos indicando nestes tempos de noite escura”.

Para a paraense, irmã Jaci Dutra Pessoa, que no ano passado foi reeleita para um segundo sexênio como superiora geral das Irmãs de Santa Dorotéia Frassinete, a assembleia “reanimou a esperança nos corações”. “É uma experiência forte de universalidade, de sentir a força da vida religiosa no mundo. Dilata muito os nossos horizontes”, conclui a irmã.

Nova Comissão Diretiva

DSC06153LoiriLazzarotoA Assembleia se concluiu com o trabalho dos dias 13 e 14, onde, entre outras atividades, o Conselho das Delegadas escolheu a nova Comissão Diretiva da UISG que ficou constituída das seguintes irmãs: Mary Lou Wirtz (EUA – Presidente), Irmãs Franciscanas Filhas do Sagrado Coração de Jesus e Maria; irmã Soledad Galerón (Espanha – Vice-Presidente), das Missionárias Claretianas; irmã Maria Theresia Hörnemann (Alemã), Missionárias Servas do Espírito Santo; irmã Felícia Harry (Gana), Irmãs de Nossa Senhora dos Apóstolos; irmã Amélia Kawaji (Japão), Irmãs Mercedárias Missionárias de Berriz; irmã Loiri Lazzarotto (Brasil), Irmãs da Imaculada Conceição de Nossa Senhora de Lourdes; irmã Louise Madore (Canadá), Irmãs Filhas da Sabedoria, irmã Marian Moriarty (Irlanda), do Instituto da Beata Virgem Maria. Como substitutas ficaram as irmãs Beatriz Acosta (Colômbia), da Ordem da Companhia de Maria e a irmã Nuria Bayó (Espanha), das Irmãs de Nossa Senhora da Imaculada Conceição de Castre. A irmã Loiri Lazzaroto dará continuidade à presença do Brasil com a saída da irmã Terezinha Rasera. A irmã Loiri definiu a escolha como “um grande desafio” e promete realizá-lo com “garra e alegria”. “Estou certa que será uma grande escola e que aprenderei muito com o grupo”, concluiu ela.

Presença Brasileira

A presença das Superioras Gerais no cenário eclesial tem se tornado sempre mais significativa. Além disso, elas têm contribuído para o aprofundamento e reflexão do lugar da vida religiosa na igreja e no mundo. O Brasil contou com 71 Superioras presentes, das quais 40 residem em Roma. Cerca de 35 Gerais estiveram presentes na Assembleia.

Escreva um Comentário

Ver todos os Comentários

Seu endereço de email não será publicado. Também outros dados não serão compartilhados com a terceira pessoa. Campos obrigatórios marcados como * *

Share This