Sagração episcopal

A Igreja de Uberaba viveu, nestes últimos dias, uma experiência que, nos seus mais de cem anos de vida, foi a primeira que os fiéis puderam assistir e dela participar. Foi a sagração pontifical do novo bispo de Jacarezinho no Paraná, escolhido pelo Papa entre o clero diocesano de Uberaba: Dom Antonio Braz Benevente.

Nenhum de nossos templos – mesmos os mais espaçosos como o Santuário da Medalha – teria possibilidade de abrigar o número elevado de participantes. Foi necessário realizar a beleza do rito sacro no ginásio do Colégio Diocesano, gentilmente cedido.

A cerimônia é rica de sentido. São três bispos que pontificam este ritual. O eleito, por nomeação papal que é lida aos presentes, faz suas promessas de fidelidade à Igreja e de dedicação ao povo cristão do qual será pastor. E após a invocação dos santos no canto das ladainhas, realiza-se o rito principal da sacra da ordenação episcopal.

Os três bispos consagrantes impõem as mãos na fronte do eleito, sendo este – a “keirotonia” – o rito essencial, acompanhado com as palavras consecratórias. E enquanto o sagrante reza a oração consecratória, dois ministros seguram na cabeça do eleito o livro dos Evangelhos aberto, que será sempre a fonte inspiradora do ensino episcopal.

Em seguida, o Bispo que preside derrama o óleo de crisma na cabeça do eleito. Consagra-o pois a ele que acabara de receber o Espírito Santo. Com isto o nosso novo bispo recebe a plenitude do sacerdócio, como sucessor dos apóstolos.

Logo após ter sido ordenado, recebe ele as insígnias episcopais: a mitra do pontífice, o báculo do pastor e o anel, sinal de que desposa sua Igreja diocesana. Assim revestido, percorre a igreja, abençoando os fiéis.

Deste momento em diante o neo-episcopo é sucessor dos apóstolos, enriquecido pelo caráter sacramental da Ordem e se torna membro do episcopado, portador portanto do Espírito Santo.

A riqueza dos ritos sacramentais coloca o novo bispo como responsável pela Igreja docente e como pastor do povo de sua diocese.

A Igreja de Uberaba se alegra pela honra de ter o Papa escolhido, entre seu clero diocesano, o Pastor de Jacarezinho e faz votos de ser ele o “anjo bom” de seu clero e de seu povo, naquela progressista região do Paraná. É, por certo, rico presente que Uberaba dá aos católicos de Jacarezinho.

Dom Benedicto de Ulhoa Vieira

Escreva um Comentário

Ver todos os Comentários

Seu endereço de email não será publicado. Também outros dados não serão compartilhados com a terceira pessoa. Campos obrigatórios marcados como * *

Share This