Sal na terra e luz no mundo

Dom Eurico dos Santos Veloso

Arcebispo Emérito de Juiz de Fora

Jesus usa três comparações – sal, luz e lâmpada – para nos mostrar o que significa ser cristão, ou, em outras palavras, para apresentar o sentido da presença e da ação da comunidade cristã no mundo.

O sal é o alimento fundamental para a vivência: preserva, conserva os alimentos e lhes dá sabor. A comunidade cristã, seguindo a Jesus, preserva, conserva a vida e lhe dá sabor humano.

A primeira carta de São João diz: “Deus é luz”, porque sua presença ilumina a vida do homem, conferindo-lhe significado. A comunidade cristã é luz do mundo porque testemunha Jesus e se torna, desse modo sinal que revela o sentido que Deus dá à vida. Ninguém vive sem a luz. Ela possibilita enxergar o caminho para andar e ninguém caminha sem um sentido na vida.

Por fim, a simbologia da lâmpada: ninguém a acende para colocá-la debaixo de uma vasilha. Não podemos nos esconder nem nos fechar, caso contrário, nosso testemunho já não tem mais sentido.

É sal da terra, é luz do mundo, é cidade visível que fica no alto do monte. Essas imagens, utilizadas por Jesus, convergem para a mesma direção: o testemunho da vida a serviço dos outros. Fica bem claro que não existimos unicamente para nós mesmos, mas também em função dos outros, de toda a humanidade.

Somente seremos sal, luz e lâmpada quando dermos testemunho de Jesus, vivendo o que Ele proclamou nas bem-aventuranças. O homem moderno pode descobrir, para além da linguagem e das ideias, que Deus se encontra na simplicidade e a falta de luz nos nossos corações é o que impede de fazermos deste mundo um mundo melhor.

Escreva um Comentário

Ver todos os Comentários

Seu endereço de email não será publicado. Também outros dados não serão compartilhados com a terceira pessoa. Campos obrigatórios marcados como * *

Share This