São Paulo, modelo acabado do Discípulo Missionário de Jesus

Várias pessoas consideram o Documento de Aparecida, como um grande manual de espiritualidade.

De fato, já estão aparecendo várias releituras deste Documento, a saber: Bíblica, teológica, catequética, pastoral e espiritual para traduzir o Documento de Aparecida para o povo cristão.

Mas o Capítulo sobre a Formação dos Discípulos é o que revela melhor a espiritualidade. Neste capítulo encontramos o fio condutor de uma releitura bíblico-catequética, sobretudo quando diz que o ponto de partida para formar um discípulo é o fascínio, o encantamento e a experiência viva de Jesus.

Ali aparecem várias exigências que caracterizam esta experiência viva de Jesus, a saber: Deve ser um encontro vivo, decisivo, íntimo, eclesial, e que se torna missionário, a serviço da vida.

No Documento de Aparecida, os princípios sobre a Formação dos Discípulos tiveram o mérito de resgatar as exigências bíblicas do Discipulado que andavam esquecidas em nossa pastoral.

Mas agora surge o desafio pedagógico e catequético de como traduzir, aqui e agora, todas essas exigências tão claras nos princípios.

Sabemos que, na Catequese, uma via privilegiada de formação é a Pedagogia do Herói que para nós é o Testemunho de vida dos santos. Os Santos são os grandes modelos de vida e do seguimento de Jesus.

Na história dos Santos encontramos concretizadas todas as exigências do Discipulado.

Encontramos Santos apaixonados por Cristo; outros convertidos com uma opção decisiva; todos seguidores de Cristo até na cruz; muitos missionários a serviço da vida.

Mas, dentre os Santos, poucos atingiram tão bem o ideal das exigências do encontro com Cristo como São Paulo que aparece como o modelo acabado do Discípulo Missionário de Jesus.

Vamos então, através das Epístolas, conferir como São Paulo em sua vida realizou as várias exigências do discipulado.

Diz o Documento de Aparecida: O encontro deve ser decisivo. Quem de nós não conhece a história de Saulo que depois de um “encontrão” virou Paulo.

E de maneira fascinante: Sei em quem acreditei (2Tim 1,12)

E íntimo: Já não sou eu que vivo, é Cristo que vive em mim (Gal.2,20)

E marcado pela cruz: Cumpro nos meus membros o que falta à Paixão de Cristo. (Col. 1,24)

E inserido: Sofro, de novo, as dores do parto, até Cristo ser formado em vós (Ga. 4,19).

E com prioridade total: Ai de mim, se eu não evangelizar (1Cor. 9,16).

Estamos no Ano Paulino, aproveitemos a Pedagogia do Modelo tão caro aos jovens, revelando São Paulo como modelo acabado do Discípulo Missionário de Jesus, para que n’Ele nossos povos tenham vida.

Dom Albano Cavallin
Arcebispo Emérito de Londrina

Escreva um Comentário

Ver todos os Comentários

Seu endereço de email não será publicado. Também outros dados não serão compartilhados com a terceira pessoa. Campos obrigatórios marcados como * *

Share This